Divulgação
Divulgação

Dorival confirma encontro com Brunoro e Palmeiras sonda Arce e Gareca

Além dos três, Vanderlei Luxemburgo é outro nome estudado pelos dirigentes palmeirenses

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2014 | 07h59

SÃO PAULO - Um dos cotados para assumir o cargo de técnico do Palmeiras, Dorival Júnior admite que foi procurado por representantes do clube na segunda-feira para saber seu interesse em defender o clube e um novo contato pode acontecer nos próximos dias. Vanderlei Luxemburgo, Arce e Ricardo Gareca também estão na briga para assumir o cargo.

Dorival se encontrou com o diretor executivo, José Carlos Brunoro, e com o gerente de futebol, Omar Feitosa. "Tivemos um encontro, uma conversa bem informal para saber o que o Palmeiras pensa e o que eu penso sobre o campeonato. Foi uma conversa bem tranquila, sem falar de valores. Eles devem estar avaliando o que eles entendem ser o melhor para o clube", assegurou, em entrevista exclusiva ao Estado.

O treinador ainda ouviu dos dirigentes que outros técnicos seriam consultados antes deles decidirem quem será o comandante da equipe. Dorival diz que não conseguiu sentir se a reação foi positiva ou não, mas lembra a boa relação com Brunoro. “Ele me conhece muito bem e sabe do meu trabalho. Trabalhei dois anos e meio com ele no Palmeiras, Juventude e Botafogo de Ribeirão Preto”, lembrou, se referindo a época em que era jogador.

Além de Dorival, Omar e Brunoro conversaram também com Vanderlei Luxemburgo, na última sexta-feira, e recentemente falaram com o ex-lateral-direito Arce, que atualmente comanda o Cerro Porteño. Brunoro deve ir até a Argentina nos próximos dias para falar com Ricardo Gareca, que até o fim do ano passado dirigia o Vélez Sarsfield, onde trabalhou por quatro temporadas.

Após conversar com o quarteto, Brunoro, Omar e o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, vão definir qual treinador se encaixa melhor no que o time precisa e tem para oferecer. A tendência é que alguma novidade aconteça só na semana que vem.

Enquanto isso, o time continua sendo dirigido pelo interino Alberto Valentim, que além do jogo contra o Goiás e Sampaio Corrêa, deve também comandar a equipe na partida contra o Vitória, domingo, em Salvador. 

DORIVAL SE ‘RECICLOU’

Sem clube desde dezembro do ano passado, quando foi demitido do Fluminense, Dorival explica que está quase seis meses desempregado por opção. “Eu precisava de uma parada. Vinha de dez anos saindo de um clube e assumindo outro. Foi importante dar uma descansada”, assegurou.

De 2004 para cá, Dorival treinou 15 clubes e teve duas passagens pelo Vasco. Na ordem: Figueirense, Fortaleza, Criciúma, Juventude, Sport, Avaí, São Caetano, Cruzeiro, Coritiba, Vasco da Gama, Santos, Atlético-MG, Internacional, Flamengo, Vasco novamente e Fluminense.

"Precisava dessa parada. Agora volto mais tranquilo e preparado para uma nova sequência", avisou. O treinador revelou que teve três propostas nesse período, mas recusou todas. "Eu não podia aceitar o convite. Agradeci, mas precisava buscar uma reavaliação do trabalho e agora estou pronto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.