Dorival critica gramado e juiz após empate do Flamengo

'A bola fica muito viva e impede a possibilidade de jogadas mais rápidas', diz treinador sobre o campo do Engenhão

AE, Agência Estado

27 de agosto de 2012 | 08h45

RIO - O técnico Dorival Júnior fez muitas críticas após o empate sem gols entre

"Foi um jogo muito marcado, muito truncado, aliás, as dificuldades são muito grandes para as duas equipes com um gramado nesse estado. O espetáculo acaba ficando comprometido. O jogo fica pobre tecnicamente. A bola fica muito viva e impede a possibilidade de jogadas mais rápidas. Não é uma justificativa (para o empate), mas o estado ruim do gramado atrapalha sim as equipes", criticou.

Expulso no primeiro tempo do clássico, Dorival disse ser vítima de perseguição de Bassols. "Isso (expulsão) se deve a coisas do passado. Infelizmente, carregam-se coisas para o jogo seguinte. O árbitro errou três vezes no mesmo lance, um erro veio atrás do outro. E eu saí porque eu gesticulei. Se todos os treinadores forem expulsos por gesticular, não vamos ter mais ninguém à beira do gramado", desabafou.

Para Dorival, o Flamengo até dominou o Botafogo, mas não fez o suficiente para conquistar a vitória sobre o rival. "O jogo foi muito mais transpirado do que inspirado. Houve poucas jogadas de efeito, poucas de criação. Acho que as marcações prevalecerem. O Flamengo teve mais posse de bola, dominou a partida um pouco mais que o Botafogo, o que ainda foi pouco para nós", analisou.

O empate de domingo deixou o Flamengo na nona colocação no Campeonato Brasileiro, com 26 pontos. O time volta a jogar na quinta-feira, quando receberá o Sport em Volta Redonda, no Estádio Raulino de Oliveira, em duelo válido pela 20ª rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.