Dorival culpa início ruim e ansiedade por queda do Santos na Copa do Brasil

Alvinegro não resistiu a reservas do Inter no Beira-Rio

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

19 Outubro 2016 | 23h01

O técnico Dorival Júnior lamentou a derrota para o Internacional por 2 a 0, que custou a eliminação do time paulista na Copa do Brasil. Para ele, a saída nas quartas de final não pode ser vista como algo bom para o time que luta também pelas primeiras posições no Brasileirão.

"Não há lado positivo em desclassificação. Não queríamos isso. Queríamos ter o desgaste e as duas competições em paralelo, brigando pelo título, infelizmente não foi possível. Fizemos de tudo", disse.

O treinador culpou o gol sofrido nos primeiros minutos, que fez com que o adversário pudesse se fechar ainda mais na defesa e apostar nos contra-ataques. "Eles tiveram uma proposta de jogo e foram felizes, se fecharam e marcaram com intensidade. Estava difícil para criar, tentamos criar com triangulações, movimentações, mas não conseguimos criar com a mesma clareza de sempre", explicou.

Ele sabe que o time rendeu abaixo do esperado, ainda mais diante de um adversário que conseguiu suportar um pouco da pressão santista e ainda fez um gol no final, em contra-ataque. "Sempre que acontecem derrotas é natural que você deixe de fazer alguma coisa e não faça tão bem o que vinha fazendo. Temos de assumir. Tivemos alguns minutos iniciais que nos custaram caro. A partir daí, tivemos dificuldades e, com a ansiedade do empate, se dá a situação favorável do contra-ataque que aconteceu nos últimos minutos da partida."

Dorival evitou falar sobre ter perdido para um rival que tinha apenas três titulares em campo e elogiou o Inter. "Entre nós não há essa conotação de time reserva ou não. Jogamos contra o Inter e Grêmio. São jogadores de alto nível que poderiam atuar em qualquer equipe aqui ou ali. Não quer dizer nada se não são titulares nesse momento. Hoje e no domingo foi assim. Enfrentamos com todas as nossas forças, mas foram adversários difíceis, felizes nas propostas de jogo", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.