Dorival culpa início ruim e ansiedade por queda do Santos na Copa do Brasil

Alvinegro não resistiu a reservas do Inter no Beira-Rio

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

19 de outubro de 2016 | 23h01

O técnico Dorival Júnior lamentou a derrota para o Internacional por 2 a 0, que custou a eliminação do time paulista na Copa do Brasil. Para ele, a saída nas quartas de final não pode ser vista como algo bom para o time que luta também pelas primeiras posições no Brasileirão.

"Não há lado positivo em desclassificação. Não queríamos isso. Queríamos ter o desgaste e as duas competições em paralelo, brigando pelo título, infelizmente não foi possível. Fizemos de tudo", disse.

O treinador culpou o gol sofrido nos primeiros minutos, que fez com que o adversário pudesse se fechar ainda mais na defesa e apostar nos contra-ataques. "Eles tiveram uma proposta de jogo e foram felizes, se fecharam e marcaram com intensidade. Estava difícil para criar, tentamos criar com triangulações, movimentações, mas não conseguimos criar com a mesma clareza de sempre", explicou.

Ele sabe que o time rendeu abaixo do esperado, ainda mais diante de um adversário que conseguiu suportar um pouco da pressão santista e ainda fez um gol no final, em contra-ataque. "Sempre que acontecem derrotas é natural que você deixe de fazer alguma coisa e não faça tão bem o que vinha fazendo. Temos de assumir. Tivemos alguns minutos iniciais que nos custaram caro. A partir daí, tivemos dificuldades e, com a ansiedade do empate, se dá a situação favorável do contra-ataque que aconteceu nos últimos minutos da partida."

Dorival evitou falar sobre ter perdido para um rival que tinha apenas três titulares em campo e elogiou o Inter. "Entre nós não há essa conotação de time reserva ou não. Jogamos contra o Inter e Grêmio. São jogadores de alto nível que poderiam atuar em qualquer equipe aqui ou ali. Não quer dizer nada se não são titulares nesse momento. Hoje e no domingo foi assim. Enfrentamos com todas as nossas forças, mas foram adversários difíceis, felizes nas propostas de jogo", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.