Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Dorival diz que Fla fez pior jogo sob o seu comando e vê ‘resultado desastroso’

Sem pontuar, equipe reubro-negra pode ver Palmeiras disparar na ponta caso supere o Atlético-MG neste domingo

O Estado de S.Paulo

10 Novembro 2018 | 22h51

"O Flamengo fez a sua pior atuação no meu comando e, mesmo com um resultado desastroso, nós vamos continuar lutando até o final pelo título". Foi o que restou ao técnico Dorival Junior dizer após a derrota para o Botafogo, por 2 a 1, no Engenhão, que deixou o time bem mais distante do título brasileiro.

Agora com 60 pontos, em terceiro lugar, o time rubro-negro pode ver o vice-líder Internacional, com 61, e o líder Palmeiras, com 66 pontos, se distanciarem mais no final da 33.ª rodada. A derrota derrubou a série invicta de nove jogos, seis delas sob o comando de Dorival Júnior. "Temos que finalizar a rodada. Apesar do resultado desastroso para as nossas pretensões, é preciso sempre acreditar", disse.

Sobre a fraca atuação do time, ele não soube bem como explicar como tudo aconteceu. "Não tenho dúvida de que fomos mal. Foi muito abaixo do que nós imaginássemos. Fica difícil até de explicar alguma coisa, depois de uma semana bem produtiva. A equipe vinha num processo de evolução muito bom, se sentindo muito bem. Jogávamos com segurança, sobriedade e atitude. Hoje foi completamente diferente e tive que me manifestar logo aos cinco minutos. Foi estranho", afirmou.

Agora é pensar nos próximos jogos. O primeiro deles contra o Santos, na quinta-feira, no Maracanã. O time vai ter três baixas por cartões amarelos: o lateral-esquerdo Renê, o volante Willian Arão e o meia Lucas Paquetá. Para o técnico, o grupo pode absorver estas perdas. "São três jogadores importantes, mas a gente pode encontra soluções dentro do nosso grupo que tem jogadores de qualidade".

O zagueiro e capitão Réver, sempre consciente, reconheceu as dificuldades, mas garantiu que não vai jogar a toalha enquanto houve chances matemáticas para buscar o título. "Temos que esperar a rodada, mas pelo trabalho que fizemos, não podemos desistir nunca. Nós temos nossos objetivos e vamos manter até o final", completou, dando a entender que a meta agora é ficar entre os quatro primeiros colocados. Com isso, o time garante uma vaga na fase de grupos da Copa Libertadores de 2019.

Em relação ao jogo, o capitão reconheceu que o time foi muito abaixo do que podia no primeiro tempo. "O Botafogo fez dois gols em 30 minutos e daí ficou muito difícil", analisou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.