Dorival garante que Santos brigará por títulos em 2010

Se o começo da temporada reserva dificuldades ao Santos, o técnico Dorival Júnior garante que o time não vai brigar na parte debaixo da tabela como aconteceu no Campeonato Brasileiro do ano passado. Pelo contrário, ele acredita que o clube estará no pelotão de frente, na luta por títulos.

ALEX SABINO, Agencia Estado

12 de janeiro de 2010 | 12h15

No primeiro ano após a saída do presidente Marcelo Teixeira, o clube passa por séria crise financeira e vem tendo dificuldades para montar um elenco de primeiro nível. Apesar disso, o treinador assegura que o time lutará por conquistas em 2010.

"Vai brigar, sim. Mesmo sabendo de todos os problemas que estamos enfrentando, ainda assim, vamos brigar pelos títulos. Quero um time vibrante e combativo e o Santos será assim. Nós vamos trabalhar para encontrar o equilíbrio e lutar em todas as competições", afirmou o comandante santista.

Dorival Júnior, porém, admite que a torcida precisará ter paciência, pois os resultados expressivos devem demorar para acontecer. "É um momento de transição no clube. Outros times se reforçaram e mantiveram a estrutura da equipe e do treinador. Não estou preparando desculpa para nada. É a realidade. Estou aqui para ganhar com o Santos e não vou fugir disso. Mas quero mostrar que estamos saindo um pouco atrás. Isso é inegável e tem um peso grande", ressaltou.

Ao mesmo tempo, o técnico afirma que a torcida santista não pode esperar que a volta do meia Giovanni, vice-campeão brasileiro pelo time em 1995, seja a solução para os problemas dentro de campo. Além disso, fez questão de frisar que não foi contra a retorno do ídolo de 37 anos de idade.

"Torcedor vive disso, da paixão ligada ao sonho de se ver dentro de campo e sendo representado por um ídolo. Giovanni encarna isso. Ele representa muito para o santista e isso é gostoso de se ver. Jamais poderia ser contra um momento desse. Participar da possibilidade de um grande jogador retornar ao clube. Eu tinha de tentar colaborar para ajudar que o torcedor resgate o ídolo. Que a equipe propicie a ele encontrar o próprio caminho. Que o Giovanni seja visto como complemento para o time, não solução", reforçou.

Já ao comentar sobre o papel que os garotos Neymar e Paulo Henrique terão em 2010, Dorival pediu: "Não se pode jogar responsabilidade excessiva sobre eles. É o momento do amadurecimento completo dos dois. Acho que esta temporada pode ser a de confirmação. A necessidade é que eles cresçam ainda mais".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantosDorival Júnior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.