Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Dorival Júnior, Brunoro  e Omar deixam o comando do Palmeiras

Após reunião nesta segunda-feira, técnico, diretor executivo e gerente de futebol são dispensados pelo presidente Paulo Nobre

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

08 de dezembro de 2014 | 21h07

O presidente Paulo Nobre resolveu agir rápido e fez uma grande reformulação no futebol do Palmeiras. Na noite desta segunda-feira, após reunião que durou mais de três horas, foi decidido que José Carlos Brunoro, Omar Feitosa e Dorival Júnior não trabalham mais no Palmeiras. 

Dorival Júnior chegou ao Palmeiras com a missão de salvar o time do rebaixamento. O objetivo foi concretizado, mas o trabalho não agradou a diretoria. Os resultados não foram satisfatórios e a comissão técnica também não conseguiu ter uma boa relação com os atletas. 

Já Brunoro chegou ao Palmeiras em janeiro de 2013 e foi a primeira "contratação" de Paulo Nobre como presidente do clube. O dirigente chegou cheio de pompa, pelo fato de ter sido um dos responsáveis pelo sucesso da cogestão Palmeiras-Parmalat, mas chegou a um clube com uma situação bem diferente. Com a política de pés no chão e controlar todos os gastos, Nobre não conseguiu dar a autonomia ao dirigente que todo mundo esperava. Além disso, Brunoro acabou acumulando também a função de diretor de futebol, já que ele era o responsável por tratar diretamente das principais negociações.

A relação entre os dirigentes começou a ficar desgastada na negociação com Alan Kardec. Brunoro tratou diretamente com o jogador e seu pai, que também é empresário, e acertou os valores da renovação de contrato. Quando Paulo Nobre entrou na conversa, para sacramentar o negócio, decidiu mudar os valores e a atitude irritou o jogador, que preferiu ir para o São Paulo.

Quanto a Omar Feitosa, ele foi contratado com a missão de fazer uma "ponte" entre a diretoria e os jogadores, mas desde o início do trabalho também não conseguiu desempenhar um papel que agradasse tanto aos atletas quanto ao presidente palmeirense.

Com a saída de Brunoro, o Palmeiras sai no mercado atrás de um novo dirigente. Alexandre Mattos, do Cruzeiro, é o preferido. Ele pediu dois dias para pensar se permanecer no clube mineiro ou aceita o desafio de reconstruir o Alviverde. Eduardo Maluf, do Atlético-MG, e Paulo Pelaipe, sem clube, também são nomes sondados pela diretoria. 

Para o lugar de Dorival Júnior, diversos nomes também são comentados, casos de Tite, Abel Braga, Cuca e Mano Menezes, que está de saída do Corinthians.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.