Dorival Júnior cobra menos 'firula' no Santos

As pedaladas de Robinho e Neymar, por vezes excessivas, irritaram Dorival Júnior. Para o treinador, o Santos poderia ter saído para o intervalo com um resultado desastroso diante do Rio Claro, que acabou batido, de virada, por 2 a 1, no domingo, no Estádio do Pacaembu.

TERCIO DAVID, Agencia Estado

15 de fevereiro de 2010 | 10h02

"O Santos não jogou bem. Entrou desconcentrado em campo e o Rio Claro entrou determinado, com os jogadores sabendo o que precisavam fazer. Poderiam até, e mereciam, ter encerrado a primeira etapa com uma vantagem maior", comentou o treinador

"O Santos não soube marcar e não soube sair da marcação adversária. Os jogadores também abusaram das jogadas individuais. Faltou jogar com simplicidade", completou.

Dorival também chamou a atenção para a pressão exercida pelos mais de 30 mil torcedores presentes ao Pacaembu. "Tivemos que lidar com a ansiedade da torcida, que esperava uma reação o mais rápido possível."

No segundo tempo, com as entradas de Nadson e Giovanni, o Santos passou a jogar com quatro homens no ataque - Robinho, André, Neymar e Madson - e dois na armação - Giovani e Paulo Henrique. Assim, o time conseguiu a virada, com gols de André e Giovanni, após jogadas de Neymar.

O treinador, no entanto, espera que o sufoco não se repita. "A responsabilidade pelo resultado é dos jogadores. Basta apenas que entrem concentrados em campo", disse. "Faltou concentração no primeiro tempo e isto poderia ter nos custado o resultado. Espero que esta lição tenha sido aprendida e que no futuro não precisemos mais chamar a atenção deles sobre isto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.