Daniel Vorley/AGIF
Daniel Vorley/AGIF

Dorival Júnior nega boicote aos argentinos no Palmeiras

Para evitar possíveis teorias das conspiração, o treinador assegura que não tem qualquer problema com os estrangeiros

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

06 de dezembro de 2014 | 09h53

Quando Ricardo Gareca deixou o Palmeiras, criou-se muita expectativa para saber o que aconteceria com o quarteto argentino formado por Tobio, Mouche, Allione e Cristaldo. Atualmente, Dorival Júnior tenta tratar os quatro como "mais um" no elenco e entende a pressão da torcida para utilizá-los mais. Para evitar possíveis teorias das conspiração, o treinador assegura que não tem qualquer problema com os estrangeiros.

"O Cristaldo tem mais de nove jogos em sequência comigo. O Allione foi expulso nas partidas em que foi titular e o Tobio é titular normalmente", disse o treinador, fazendo um mea-culpa apenas no caso do atacante Mouche. "Ele, eu concordo que não teve uma sequência."

O treinador acredita que outros jogadores brasileiros tiveram tão ou menos chances do que alguns dos argentinos. "Se olharmos bem, o Felipe Menezes e o Diogo tiveram menos oportunidades do que o Cristaldo, por exemplo", comparou.

De fato, Cristaldo teve várias oportunidades com o treinador. E de todos os argentinos, quem parece ter mais a confiança de Dorival é Tobio, que pode ser desfalque neste domingo, diante do Atlético-PR, às 17h, no Allianz Parque, por sentir dores musculares. Allione está suspenso por ter sido expulso contra o Internacional.

Mouche deu entrevista recentemente para uma rádio argentina falando que está insatisfeito no Palmeiras e se Dorival Júnior continuar no clube, ele deve sair. O San Lorenzo é um dos interessados no jogador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasDorival Júnior

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.