Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Dorival não perde jogadores para clássico e comemora atuação do São Paulo

Equipe tricolor bateu o Flamengo no Pacaembu com gols de Lucas Pratto e Hernanes

Renan Fernandes, Estadão Conteúdo

22 Outubro 2017 | 20h58

O técnico Dorival Júnior teve dois motivos para comemorar na 30.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Além dos três pontos garantidos com a vitória de 2 a 0 sobre o Flamengo, nenhum jogador do São Paulo que estava pendurado recebeu cartão amarelo. Assim, todo o elenco estará à disposição do treinador para o clássico com o Santos no próximo sábado.

+ TEMPO REAL - Confira os lances da partida

+ Leia mais notícias sobre o São Paulo

+ Leia mais notícias sobre o Flamengo

+ Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

+ São Paulo brilha no primeiro tempo e derrota o Flamengo no Pacaembu

+ Jogadores do São Paulo alertam para equipe não oscilar mais no Brasileirão

"Isso prova que, taticamente, a equipe tem feito grandes jogos. Para ter jogador de meio-campo pendurado e se sustentando por tantas rodadas, alguma coisa boa tem. Tem compactação, não damos espaço. Tivemos problemas, mas vejo equipe compacta, com linhas próxima, agressiva sem tomar cartão. Isso mostra bom posicionamento, é um fato importante. Pedimos sempre para tomar cartão só por necessidade, não reclamação ou destempero, porque prejudicaria bastante", disse.

Dorival também defendeu a mudança de sua equipe, que passou a defender um pouco mais depois de abrir vantagem no marcador. No entanto, ele destacou que focar na defesa não significa abrir mão completamente do ataque.

+ Bahia ganha clássico e complica o Vitória no Brasileirão

+ Robinho decide e Atlético-MG ganha do Cruzeiro de virada no Mineirão

+ Sob clima tenso, Santos supera Atlético-GO e volta a vencer no Brasileirão

+ Palmeiras bate o Grêmio e diminui distância para o Corinthians

+ Atlético-PR derrota Sport em casa e volta a sonhar com vaga na Libertadores

"O problema é querer defender só por defender, contra uma equipe que sabe trocar passes e infiltrar. isso me preocupava, queria marcação agressiva, jogar no campo do Flamengo e evitar troca de passes e triangulações que fazem bem, e levou alguns perigos. Quando adiantamos, igualamos o jogo. Mas, no segundo tempo, naturalmente, pela busca do resultado, o Flamengo prevaleceu um pouco", afirmou.

A boa exibição do São Paulo contra o Flamengo entrou na lista do treinador como um jogos que devem ser seguidos como parâmetro para o restante da temporada. "O jogo contra o Corinthians é um modelo, contra o Atlético-PR, o Vitória, o Flamengo", exemplificou. "Desde que cheguei ao São Paulo, nossa equipe tem a sexta campanha. E mesmo assim oscila. Temos uma equipe sendo formada no meio do campeonato, não voltarei a falar disso porque fico repetitivo e chato, mas é a grande verdade. O jogo foi bom, mas nunca sabemos o que nos espera no seguinte", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.