Divulgação
Divulgação

Dorival não se preocupa com desfalques e amplia coro contra jogos às 11h

Técnico esquiva sobre possível titularidade de L. Lima na seleção

O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2015 | 14h22

Assim como seus jogadores, Dorival Junior elogiou bastante a força do elenco do Santos na vitória por 3 a 1 sobre o Internacional, na manhã deste domingo. O técnico não pôde contar com Ricardo Oliveira e David Braz, suspensos, além do lesionado Geuvânio, que deve ficar fora por mais algumas semanas. Este número pode aumentar para as próximas partidas, já que Thaigo Maia saiu de maca no segundo tempo. 

"O (atacante) Nilson e o (zagueiro) Paulo Ricardo entraram hoje e deram conta do recado. Mantiveram o time no mesmo nível. É em momentos assim que você vê a força de um elenco", respondeu Dorival Junior na coletiva após o jogo. 

Se Paulo Ricardo foi responsável pelo pênalti que deu a liderança no placar para o Inter, Nilson e Marquinhos Gabriel, o substituto de Geuvânio, fizeram a jogada do empate. No segundo tempo, Leandro foi colocado no jogo e marcou o último do alvinegro na meta de Alisson. 

Quanto a decisão de voltar Marquinhos para o banco após a recuperação completa de Geuvânio, Dorival classificou como "uma dúvida proveitosa, gostosa e que todo técnico gostaria de ter". 

Logo depois do final do jogo, Lucas Lima revelou que passou boa parte dos 90 minutos com um desconforto na coxa. Ciente do problema, Dorival afirmou que monitorava a situação do seu atleta a todo momento já que há "uma sobrecarga muito grande sobre ele". O camisa 20 é justamente o jogador com a maior quantidade de jogos do seu elenco, já que também servirá a seleção brasileira no próximo mês. 

Apesar da lesão, o meia se movimentou, abriu espaços para seus companheiros e castigou os rivais. "Os três jogadores que marcaram ele foram penalizados com cartões (Silva, Wellington e William). Ele tem que aprender a jogar desse jeito. Lucas vem crescendo a cada momento, vem se completando como atleta, espero que continue assim. Ele também foi muito participativo, ajudou na defesa. Quero meus jogadores cada vez mais assim."

Perguntado se colocaria Lucas Lima como titular da seleção brasileira nas Eliminatórias caso fosse o treinador, Dorival Junior preferiu não opinar, dizendo que "Dunga ainda tem que ganhar confiança no atleta, o está conhecendo agora. Não faz parte do meu meio. Se eu fosse o técnico, seria uma outra situação."

JOGOS ÀS 11H

Com termômetros na casa dos 30ºC, o horário das 11h mais uma vez foi discutido. Dorival Junior reconhece que é sucesso de público e de visibilidade, "mas, de todos os jogadores que tive contato, nenhum deles aprova. Eles ainda têm que se readequar na preparação, na alimentação". 

INTER PERDE CONTROLE DO JOGO

Do lado do Internacional, Argel lamentou a perda do controle do jogo após sofrer o empate. Ele ainda buscou mexer no time, colocando Alex Santana no lugar de Wellington "para armar o time, rodar a bola e preencher o meio. Ainda assim não conseguimos. Depois do 2 a 1 ficou difícil. Tivemos chance com Valdivia, Juan, de cabeça. Perdemos uma bola controlada no meio em um contra-ataque, o adversário aprovietou e acabou com o jogo nos 3 a 1". 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolbrasileiraointersantos fc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.