André Borges/AGIF
André Borges/AGIF

Dorival pede paciência para Santos superar os desfalques

Técnico quer que o time aprenda logo a jogar sem trio da seleção olímpica

O Estado de S.Paulo

21 de julho de 2016 | 07h02

O técnico Dorival Júnior não escondeu a irritação com a má atuação do Santos no empate por 0 a 0 com o Gama, quarta-feira, no estádio Bezerrão, em Gama, pelo jogo de ida da Terceira fase da Copa do Brasil. O treinador destacou a qualidade do adversário, mas também ressaltou a dificuldade que a equipe terá nos próximos jogos em decorrência dos desfalques por causa da seleção brasileira olímpica.

“Tínhamos um elenco forte e ele foi quebrado pela seleção. Agora temos que ter paciência para encontrar a melhor condição”, disse o treinador, lembrando que o lateral-esquerdo Zeca, o volante Thiago Maia e o atacante Gabriel foram convocados para a disputa dos Jogos Olímpicos.

Além da dificuldade para superar os desfalques, Dorival também viu seu time não demonstrar o que ele esperava e o Gama se portou de forma até surpreendente. “A definição da partida foi essa: não criamos e não fizemos o resultado em razão da boa postura do Gama”, disse.

O comandante santista voltou a lamentar a ausência dos selecionáveis ao justificar o fato do time não ter demonstrado a velocidade para atacar dos últimos jogos. “Tivemos muitos problemas na transição. Nossa movimentação estava complicada e comprometida por causa da demora na saída do campo de defesa. Quando se demora na transição, a criação fica comprometida nesse passe final”, analisou.

“O Gama foi muito agressivo e por isso tivemos dificuldade. Temos que arrumar isso e encontrar uma solução. Não dá para ficar esperando a volta dos jogadores que saíram”, completou.

 

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.