Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Dracena prevê Palmeiras com desvantagem de cinco pontos antes de dérbi

Zagueiro alviverde diz esperar por crescimento da equipe e novos tropeços do rivais antes do confronto direto, em novembro

O Estado de S. Paulo

25 de setembro de 2017 | 18h46

A cada rodada do Campeonato Brasileiro o Palmeiras faz as contas e tem ficado mais otimista com a possível chance de título. Nesta segunda-feira, em entrevista ao canal ESPN Brasil, o zagueiro Edu Dracena traçou um possível cenário de expectativa em que o clube vai conseguir reduzir a diferença para o líder, Corinthians, durante as próximas rodadas e estar cinco pontos atrás em novembro, quando há um outro confronto direto.

A diferença caiu de 13 para 11 pontos na rodada do fim de semana, com a vitória do Palmeiras por 1 a 0 sobre o Fluminense, no Maracanã, e o empate em 1 a 1 do Corinthians com o São Paulo, no Morumbi. "Primeiro temos que pensar no Palmeiras. A gente vem em uma sequência muito boa e se mantiver esse mantiver esse porcentual de pontos, acredito que possamos estar quatro a cinco pontos de diferença antes do jogo o Corinthians", disse.

Até o clássico de 5 de novembro, na Arena Corinthians, o Palmeiras terá mais seis jogos para disputar. O otimismo do zagueiro se respalda em nessa série a equipe alviverde fazer quatro jogos como mandante (Santos, Bahia, Ponte Preta e Cruzeiro) e dois jogos fora. Como visitante, a equipe do técnico Cuca enfrenta o lanterna Atlético-GO e o Grêmio.

Como a equipe gaúcha estará durante a época da partida com o Palmeiras envolvida em compromisso pela semifinal da Copa Libertadores, contra o Barcelona, do Equador, o zagueiro pensa ser possível projetar um bom resultado. "Pode ser que eles coloquem um time alternativo e podemos usufruir desse artifício", afirmou. "Temos que fazer o nosso dever, ganhar os quatro jogos em casa e depois pensar no resto", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.