Drogba só pode deixar China em 2013

Fifa negou pedido do atacante para sair do Shanghai Shenhua antes da abertura da janela de transferências internacionais

AE-AP, Agência Estado

22 de novembro de 2012 | 13h05

ZURIQUE - A Fifa negou de forma oficial, nesta quinta-feira, o pedido feito por Didier Drogba para deixar o Shanghai Shenhua, da China, por empréstimo antes da abertura da janela de transferências internacionais, no início de janeiro. A temporada do futebol chinês terminou neste mês e o atacante marfinense esperava seguir atuando para se manter em forma, visando a disputa da Copa Africana de Nações, que começa justamente em janeiro, na África do Sul, mas a entidade preferiu não abrir uma exceção para beneficiar o atleta.

A negativa da Fifa acabou com as especulações de que Drogba poderia voltar ao Chelsea imediatamente, atuando por empréstimo. O jogador fez história com a camisa do time inglês na temporada passada, na qual foi campeão europeu e decisivo na final contra o Bayern de Munique, na casa do rival, marcando gol de empate e convertendo o pênalti decisivo que garantiu o troféu.

A Fifa, porém, deixou claro que o jogador só poderia atuar novamente pelo Chelsea após o início da janela de transferências internacionais. O contrato do marfinense com o Shanghai Shenhua acaba apenas em 2014, mas ele poderá jogar por empréstimo por qualquer equipe europeia a partir de 1.º de janeiro.

A Copa Africana de Nações começará no dia 19 de janeiro, na África do Sul, e Drogba espera poder atuar em partidas extras durante o período de preparação para a competição continental. E a negativa da Fifa ao pedido do goleador seguiu o exemplo do que já ocorreu com outras estrelas do futebol mundial, como David Beckham, Thierry Henry e Landon Donovan. Eles pediram para deixar o futebol dos Estados Unidos antes da janela para transferências ser aberta, mas tiveram de esperar até janeiro para atuar por outros times por empréstimo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaDrogba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.