Dualib entra na briga por Tevez

Enquanto aguarda uma resposta do Boca Juniors, se aceita ou não vender Carlos Tevez por U$ 18 milhões, o Corinthians deve definir até o final da semana a parceria com a Media Sports International. Conforme exigência do estatuto do clube, na sexta-feira, cinco dias após a publicação do edital de convocação em dois jornais de grande circulação da Capital, o Conselho Deliberativo se reunirá para votar a parceria com a MSI. De acordo com uma prévia feita entre os conselheiros, 90% são favoráveis ao acordo. A expectativa da diretoria é que os 10% restantes se rendam com a chegada de Tevez. O vice-presidente de Esportes Terrestres, Andrés Sanches, que participou diretamente da negociação ao lado do presidente Alberto Dualib e do vice, Nesi Curi, afirmou que a parceria já é um fato consumado. "Só falta assinar. E isso vai acontecer na sexta-feira". Outra novidade confirmada por Andrés Sanches: os US$ 18 milhões oferecidos pela MSI para contratar Carlos Tevez são um dinheiro à parte dos R$ 35 milhões que o clube receberá assim que a assinatura do contrato for ratificada pelo Conselho Deliberativo. "Esse dinheiro do Tevez é uma coisa à parte", reafirma Sanches. A contratação de Tevez, porém, ainda não está definida. O fax escrito em papel timbrado do clube, e assinado pelo presidente Alberto Dualib, na sexta-feira à noite, já chegou às mãos do presidente Mauricio Macri, do Boca Juniors. Até agora, porém, o Corinthians não recebeu a resposta. A MSI - a exemplo da própria diretoria corintiana - tem pressa por duas razões. Primeiro, porque a chegada de Tevez, antes da reunião de sexta-feira, servirá como uma espécie de propaganda favorável à parceria. Além disso, a MSI sabe que tem concorrência. O Atlético de Madri também quer o argentino e já ofereceu 15 milhões de euros por 80% de seus direitos federativos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.