JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Duas chapas são aprovadas para futura eleição do Palmeiras

Candidatura de Granieri não passa por filtro de conselheiros e está fora da disputa que ocorrerá no dia 29 de novembro

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

13 de outubro de 2014 | 21h52

Em reunião realizada na noite desta segunda-feira, na área social da Allianz Parque, foi decidida que duas chapas poderão concorrer a eleição para presidente do Palmeiras, que vai ocorrer no dia 29 de novembro. A chapa de Paulo Nobre e Wlademir Pescarmona passaram pelo filtro dos conselheiros, mas a de Luiz Carlos Granieri, não.

No total, 233 conselheiros dos 278 possíveis foram votar. A chapa do atual presidente Paulo Nobre teve 126 votos. A de Wlademir Pescarmona ficou com 67 votos e a de Luiz Carlos Granieri teve apenas 36. Era necessário ter pelo menos 15% do número de conselheiros, o que dá 42 votos. Por isso, a chapa de Granieri não poderá concorrer a eleição.

A chapa de Paulo Nobre tem ele como presidente e os vices são os mesmos do atual governo, casos de Maurício Galiotte, Genaro Marino, Antonino Jesse Ribeiro e Victor Fruges. Na outra chapa, Pescarmona aparece como o presidente e terá Luiz Gonzaga  Belluzzo, João Gaviolli, Carlos Degon e César Maluco como vices. A chapa que não conseguiu passar pelo filtro dos conselheiros é encabeçada por Granieri e tinha como vices Antônio Henrique Silva, Osimar Morais, Faustino Caputo e Flávio Buongermino.


A votação começou às 21h. Através de uma urna eletrônica, eles escolhiam qual chapa eles aprovavam para concorrer a eleição, que contará com votos também de sócios. Na prática, era uma espécie de eleição só de conselheiros, como acontecia anteriormente.

Existia a expectativa de que membros de torcidas organizadas pudessem comparecer ao local para protestar. Houve reforço no policiamento em volta da arena, mas nenhum protesto foi registrado. O próximo passo é a eleição, que será realizada dia 29 de novembro, no Allianz Parque, e pela primeira vez contará com a votação de sócios. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.