Reprodução/TV Palmeiras
Reprodução/TV Palmeiras
Imagem Robson Morelli
Colunista
Robson Morelli
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Dudu se irrita após sair, clube não vai intervir e cornetas vão soar em caso de eliminação em MG

Abel Ferreira recebe críticas e diz que já resolveu seu problema com o atacante; time encara Corinthians, pelo Brasileirão, no sábado, e Atlético, pela semifinal da Libertadores, na terça

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2021 | 13h15

O clima ainda é administrável no Palmeiras entre o atacante Dudu e o técnico Abel Ferreira. O jogador não gostou de ter saído do jogo contra o Atlético-MG na terça-feira sem ter feito uma boa apresentação. Esperneou no banco e teve o troco dado pelo português, que disse que todos precisam pensar mais no time e amadurecer nesse sentido. A diretoria de futebol monitora tudo de perto e só vai interferir se a coisa desandar. Dudu não é o único a sentir desprestigiado. Mas, de acordo com informações da semana, ele conversou com o atacante e garante que Dudu estava chateado mesmo "com sua atuação e não por ter deixado o gramado". Ambos entendem que não é hora de confusão.

"Ele deve ter ficado chateado com a performance do jogo dele. Ele sabe que pode fazer mais, que pode criar mais, talvez tenha ficado chateado com o rendimento dele não ter sido o melhor", opinou Abel após a partida, acrescentando que uma conversa com o jogador está nos seus planos. "Tenho de ver as imagens, o que ele fez, qual a intenção que fez e conversar. Resolvemos conversando frente a frente." Dudu disse que "todos" precisam melhorar em prol do Palmeiras. "O Palmeiras é muito maior do que todos! E quem está no clube há anos e anos, como eu, sabe muito bem disso. Para evoluir, cada um precisa colocar a mão na consciência e entender o que pode fazer para melhorar em prol do time."

Há outros no elenco que estão na reserva e gostariam de ter mais oportunidades. Um dos casos mais estranhos é o de Scarpa. O meia já se provou útil para o time, principalmente ao lado de Raphael Veiga e tem tido poucas chances. Gabriel Menino, entre idas e vindas, jogos pela seleção brasileira e pelo clube, também não é mais o mesmo, titular absoluto.

Abel Ferreira tem autonomia no futebol. Ele toma as decisões com sua comissão técnica. Algumas alas do clube não aprovaram a forma com que o Palmeiras jogou em casa diante do rival mineiro pela Libertadores. O empate sem gols no Allianz Parque até que não foi um mal resultado, uma vez que dá ao time paulista qualquer igualdade com gols no segundo jogo semana que vem, dia 28. Ocorre que algumas situações foram levantadas.

A primeira delas diz respeito que o esquema só deu certo porque Hulk perdeu um pênalti. Também foi comentado nos corredores do clube a falta de "vontade" do time de chutar a gol. Na verdade, o Palmeiras se postou do meio de campo para trás e foi essa a proposta de Abel. Todos os atacantes ajudaram na marcação, para isso abrindo mão de suas características ofensivas. 

Muito provavelmente, esse episódio ganhará corpo caso o Palmeiras não passe pelo Atlético-MG. Como ainda falta o jogo de volta, estão todos esperando. As cornetas estão guardadas. E se elas tocarem, vão atingir em cheio o peito de Abel Ferreira. Com nenhuma conquista na temporada, nem aqueles torneios de jogo único do começo do ano, a situação do treinador já não é mais tão confortável como no passado recente. Ele começa a ser minado.

Abel não é de esquentar banco e todos sabem que ele é esquentadinho. Não seria surpresa, caso o cenário descrito aconteça, se ele pegasse seu boné e fosse tocar em outra freguesia. Em princípio, a diretoria não pretende mexer em nada no comando do futebol até o fim da temporada e também porque há eleições encaminhadas para presidente, cuja empresária Leila Pereira é uma das candidatas.

Dudu e Abel terão de fazer as pazes sozinhos. O jogador também estaria incomodado de atuar fora de sua posição é onde rende menos. No jogo contra o time de Minas, ele foi presa fácil para os bons marcadores rivais. Tinha pouco espaço e não conseguia se livrar das faltas. No fim de semana, Abel terá a missão de enfrentar o Corinthians dentro da Neo Química Arena. A expectativa é de que seja um grande jogo, mesmo a despeito de o Palmeiras se valer de alguns reservas por causa da Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.