Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Dudu se firma entre grandes goleadores

Atacante é o maior artilheiro do Palmeiras na era dos pontos corridos com 22 gols

Gonçalo Júnior, O Estado de S.Paulo

05 Novembro 2017 | 07h00

Dudu foi um poucos jogadores do elenco do Palmeiras a revelarem, com todas as letras, que o grupo quer a permanência de Alberto Valentim como treinador para o ano que vem. Também foi o único que disse, com todos os números, que o Palmeiras briga pelo título - todos os outros afirmam que o foco é G-4, que nesta temporada virou G-6.

+ Leia mais notícias sobre o Corinthians

+ Leia mais notícias sobre o Palmeiras

+ Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

+ Vantagem corintiana sobre rival nunca foi superada no Brasileiro a 7 jogos do fim

Essa liderança e a confiança para falar o que pensa foram conquistadas com boas atuações. Contratado como bad boy em janeiro de 2015, quando Corinthians e São Paulo estavam interessados, Dudu evoluiu, ganhou a braçadeira de capitão e coleciona grandes marcas.

Maior artilheiro do Palmeiras na era dos pontos corridos, com 22 gols, Dudu poderá entrar no grupo dos três maiores goleadores do Palmeiras no século. Hoje, o camisa 7 tem 38 gols. Só precisa de mais um para igualar a marca de Kleber Gladiador, o que pode acontecer hoje. Autor de seis gols e duas assistências na edição do Campeonato Brasileiro, Dudu é o maior goleador do elenco e também do Allianz Parque (20 gols). Em três anos de Palmeiras, o atacante busca o seu terceiro título nacional. “Eu me identifiquei muito com o Palmeiras. Estou bem feliz aqui. Quero ficar muitos e muitos anos”, comentou o jogador.

Na partida de hoje, o Palmeiras vai precisar de sua capacidade de decisão em clássicos. Já foram sete gols diante dos maiores rivais (três contra o Santos, dois no Corinthians e dois sobre o São Paulo). “Nós encontramos um jeito de jogar, de muita posse de bola e agredindo o adversário. Espero que dê certo e a gente consiga a vitória”, afirmou o atacante. “Clássico iguala muito, mas eles (Corinthians) caíram um pouco de produção em relação ao que fizeram no primeiro turno. Temos de jogar no erro deles”, diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.