Dunga admite desempenho ruim, mas pede equilíbrio

As palavras do técnico Dunga após o empate por 0 a 0 com a Colômbia, no Maracanã, eram de quem reconhece a atuação fraca de sua equipe. Nas Eliminatórias, o Brasil chegou ao terceiro resultado consecutivo sem gols em casa - já havia empatado com Bolívia e Argentina -, e o treinador da seleção continuou enfatizando que o objetivo principal de classificar a equipe à Copa do Mundo de 2010 está bem encaminhado. "Estão plantando uma crise, uma confusão. Lógico que a gente não jogou um bom futebol, mas tem que ter um equilíbrio", disse o treinador. A torcida no Maracanã voltou a pedir a saída do técnico, e Dunga pareceu não se importar com a possibilidade de perder o cargo. "É normal quando não ganha. Não vou ser o primeiro nem o último treinador."Além de apontar o nervosismo e a ansiedade como principais obstáculos à vitória em casa, Dunga voltou a citar a retranca adversária. "A equipe quando vem jogar contra o Brasil, vem fechada. A Colômbia vinha de três derrotas, então se fechou muito", disse. Para o treinador, ainda não é hora de pensar se o desempenho irregular nas Eliminatórias pode afetar a atuação da seleção na África do Sul. "Primeiro precisa classificar, para depois pensar na Copa do Mundo."O técnico da seleção brasileira também se justificou por ter feito apenas um rachão antes do jogo, nesta terça-feira, optando por não fazer nenhum treino tático na volta ao Brasil. "Se nós tivéssemos forçado no dia anterior eles não teriam condições de jogar hoje (quarta-feira)", explicou Dunga, que ainda admitiu a melhora necessária jogando em território nacional. "Antes era mais difícil ganhar fora, agora temos que reverter em casa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.