Marcus Brandt/Efe
Marcus Brandt/Efe

Dunga admite preocupação com cartões de Kaká

Meia foi advertido com cartão amarelo contra o Chile e enfrentará holandeses pendurado

ANDRÉ CARDOSO, Agência Estado

28 de junho de 2010 | 20h27

JOHANNESBURGO - Principal jogador da seleção brasileira, Kaká já levou três cartões amarelos nos três jogos que disputou na Copa da África do Sul. Segundo o técnico Dunga, essa situação é um "problema", principalmente por deixá-lo pendurado na disputa das quartas de final, na sexta-feira, contra a Holanda, em Port Elizabeth.

Veja também:

linkKaká fala em brigar pela topo nas assistências da Copa

linkDunga diz que Brasil soube aproveitar as oportunidades que teve

linkBrasil passa pelo Chile e encara a Holanda nas quartas

mais imagens GALERIA: Brasil 3 x 0 Chile

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador

"Essa situação do Kaká é um problema", admitiu Dunga, nesta segunda-feira, após a vitória brasileira sobre o Chile, por 3 a 0, no Estádio Ellis Park, em Johannesburgo, pelas oitavas de final da Copa. O treinador, inclusive, revelou até que pretende ter uma conversa com o jogador sobre o assunto.

Kaká levou os dois primeiros cartões no jogo contra a Costa do Marfim, pela segunda rodada, o que provocou sua expulsão. Assim, cumpriu suspensão diante de Portugal e voltou agora contra o Chile, quando recebeu novo amarelo. Ele próprio chegou a admitir que precisava se "policiar" mais em campo.

Dunga, no entanto, aproveitou a situação de Kaká para criticar a arbitragem do Mundial. "Vejo um equívoco nessa Copa. Jogador técnico é punido e jogador que bate é agraciado", ironizou o treinador brasileiro.

Além de Kaká, outros três jogadores brasileiros estão pendurados com cartão amarelo: Felipe Melo, Elano e Juan. Já o meia Ramires está suspenso e não poderá enfrentar a Holanda na sexta-feira.

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.