Dunga comanda treino da seleção e 'cutuca' estrelas

Treinador confirma titulares para amistoso e esquenta discussão sobre quem vai à Olimpíada de Pequim

Sílvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

25 de março de 2008 | 17h27

Sem novidades, o técnico da seleção brasileira, Dunga, comandou um treino coletivo nesta terça-feira, no Emirates Stadium, em Londres, local do amistoso diante da Suécia, nesta quarta-feira, às 16h45 (horário de Brasília), em comemoração aos 50 anos da conquista da Copa do Mundo de 58, a primeira das cinco conquistadas pelo Brasil. O time titular treinou com Julio Cesar, Daniel Alves, Lúcio, Alex e Richarlyson; Gilberto Silva, Josué, Julio Baptista e Diego; Robinho e Luís Fabiano. Já o atacante Alexandre Pato, que provavelmente estará na lista de convocados para as Olimpíadas de Pequim, treinou entre os reservas.Depois de deixar claro qual será o time titular para o amistoso, principalmente os substitutos de Ronaldinho Gaúcho e Kaká, Dunga treinou jogadas ensaiadas - de ataque e defesa - e reclamou do posicionamento de alguns atletas. PEQUIM 2008O técnico Dunga e os dois principais jogadores da seleção no momento, Kaká, o melhor do mundo, e Alexandre Pato, assediado a todo instante por vários jornais e emissoras de TV da Europa, não estão com o discurso em sintonia quando o assunto é Olimpíada.Kaká, ausente do amistoso desta quarta-feira do Brasil com a Suécia, é recorrente na defesa de que uma eventual liberação para os Jogos de Pequim é uma questão relativa apenas a Milan e CBF. Nesta terça, Alexandre Pato disse a mesma coisa. "Isso não é comigo, é uma decisão entre o meu clube a CBF."Já Dunga foi enfático na primeira entrevista coletiva desde que chegou a Londres, na segunda-feira. "Não basta querer. O jogador tem que agir assim: "Eu vou fazer esforço para ir", o que é diferente. Porque querer jogar na seleção, numa Copa do Mundo, todo mundo quer. Mas agora quero saber se está disposto a fazer algum sacrifício para construir alguma coisa."Na opinião do treinador, os escolhidos para a Olimpíada devem sim interceder junto aos clubes para tentar a liberação. E Dunga tem o apoio de vários atletas, entre os mais veteranos da seleção, que poderiam ser chamados para as três vagas disponíveis aos que têm idade superior a 23 anos. O goleiro Júlio César, da Inter de Milão, disse que falaria diretamente com o presidente de seu clube se tivesse de negociar sua ida para Pequim. "Não pensaria duas vezes. Faria de tudo se meu nome constasse da lista.O campeão do mundo Gilberto Silva, do Arsenal, também deixou claro que não relutaria em tomar a iniciativa de ser liberado, no caso de ser convocado. "Logicamente, eu faria o maior esforço para estar com o grupo, até porque nunca disputei uma Olimpíada." Para o zagueiro Alex, do Chelsea, participar da festa em Pequim, em agosto, representaria "um feito" em sua carreira. "Nessa hipótese, com certeza eu pediria a liberação aos dirigentes do meu clube e certamente eu seria atendido; não creio que criariam problemas."Modificada às 17h47 para acréscimo de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.