Dunga destaca poder de reação do Brasil contra o Chile

O Brasil parecia se complicar na partida desta quarta-feira, contra o Chile, em Salvador. Depois de abrir 2 a 0, a equipe sofreu um gol no final do primeiro tempo e foi abalada para o intervalo. Na volta, perdeu Felipe Melo expulso e sofreu o empate na sequência. Mas o time não se intimidou e teve tranquilidade para fazer 4 a 2, com mais dois gols de Nilmar, que já tinha aberto o placar.

AE, Agencia Estado

10 de setembro de 2009 | 01h14

Para o técnico Dunga, a reação brasileira foi o aspecto mais importante a ser comemorado nesta quarta. "A equipe soube reagir, porque tem um grupo. Isso demonstra que o trabalho pelas duas partes está sendo bem feito", afirmou, aproveitando para se valorizar à frente da seleção. "2 a 2, o estádio se calou, e a equipe soube reagir. A personalidade desses jogadores foi fantástica."

Dunga também não deixou de elogiar o atacante Nilmar, que marcou três vezes. "É um jogador, taticamente, que você pede algo para ele, ele realiza e ainda acrescenta algo dele próprio", observou Dunga. O técnico ainda destacou a atuação do lateral-direito Daniel Alves, que jogou na meia, no lugar de Elano. "O Daniel vem com nós desde o início. Quando foi necessário ele jogou fora de sua posição", disse, classificando o ala como "competitivo e moderno".

À parte do jogo, porém, Dunga voltou a evidenciar sua relação conflituosa com a imprensa. "Hoje [quarta-feira] eu vi na televisão, todos os prognósticos falavam que o Brasil ia perder", cutucou. Por outro lado, o treinador se disse "muito feliz" à frente da seleção, se mostrando acostumado às críticas. "A maioria dos treinadores da seleção eram questionados. É uma coisa normal", disse.

GRUPO FECHADO - No final da entrevista após o jogo, Dunga impressionou por afirmar que já tem definido o grupo que levará para a Copa do Mundo de 2010. "Eu não tenho dúvidas", afirmou o treinador. Pouco antes, entretanto, ainda mantinha o discurso de que os novos convocados têm chances. "Cada um que vem para a seleção, que realiza um trabalho, que tem o espírito da seleção, vai conquistando."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.