Niyi Foyote/Futura Press
Niyi Foyote/Futura Press

Dunga vai testar Kaká e Lucas no treino da tarde desta segunda

Técnico pode mudar ataque apesar do bom jogo de Hulk

O Estado de S. Paulo

07 de setembro de 2015 | 08h00

Dunga vai usar o treino da tarde desta segunda-feira para definir quais as mudanças que fará no time para o amistoso de amanhã contra os Estados Unidos. Ele deixou claro depois da vitória sobre a Costa Rica no sábado que vai fazer algumas mudanças na escalação, principalmente no ataque, para ter a chance de observar mais jogadores. "A ideia é fazer um rodízio, dar uma oportunidade para alguns jogadores", disse o treinador.

É pouco provável que uma das novidades seja Neymar, embora o craque do Barcelona seja titular absoluto. Ele, que jogou pouco mais de dez minutos no sábado, disse depois do jogo que se sente incomodado na reserva, mas deve ficar novamente no banco. "O plano é utilizar o Neymar por um tempo maior nesse segundo jogo, mas precisamos preparar o time para as Eliminatórias", disse Dunga, que não terá o atacante nas duas primeiras rodadas da competição, contra Chile e Venezuela, por causa da suspensão que ele recebeu por ter sido expulso na partida diante da Colômbia na Copa América.

Quem tem chance de começar jogando é Lucas, que no sábado jogou 15 minutos ao entrar no lugar de Willian. Dunga disse que gostou de sua movimentação, e pensa em lhe dar mais tempo hoje.

Outra mudança provável é no comando do ataque, embora Dunga tenha dito que gostou do rendimento de Hulk - autor do gol da vitória de sábado. E não será surpresa se ele optar por fazer um teste com Kaká na função, como no segundo tempo da partida com a Costa Rica.

O meia deu mais qualidade técnica à equipe, procurou as tabelas e ajudou a orientar os companheiros. Dunga repete a cada entrevista que será muito importante ter jogadores experientes nas Eliminatórias, principalmente nas primeiras rodadas por causa da pressão que existe sobre a equipe em decorrência do fiasco na Copa América, e pode encontrar um lugar para Kaká na equipe.

'FALSO NOVE'

Disposto a colaborar e certo de que ainda pode ser útil à seleção, Kaká diz que não vê problema em jogar como homem mais avançado da equipe.

"Seria complicado jogar enfiado, mas não foi isso o que o Dunga me pediu. Tive liberdade para me mexer e trocar de posição com o Philippe Coutinho", disse Kaká.

Jogar com um "falso nove" pode ser uma alternativa interessante para algumas partidas, ainda mais que Dunga ainda não achou um centroavante de ofício para tomar conta da posição. A opção que ele tem no elenco é Firmino, que ainda parece verde para ser esse jogador.

O jogo contra os Estados Unidos será terça-feira às 21h30 (horário de Brasília). Será a última partida do Brasil antes da estreia nas Eliminatórias, dia 8 de outubro contra o Chile em Santiago.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolselecao brasileiraneymarcbf

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.