Dunga manda recado a Kaká em entrevista nos EUA

Palavras do treinador brasileiro atingem indiretamente meia do Milan e Ronaldinho Gaúcho

Juliano Costa - Jornal da Tarde,

30 de maio de 2008 | 19h35

O técnico da seleção brasileira, Dunga, passou a maior parte da entrevista coletiva desta sexta-feira, em Seattle (EUA), pisando em ovos quando o assunto era Kaká. Na última resposta, porém, mesmo sem dar nomes, o técnico mandou um recado pesado, uma indireta, que poderia ser perfeitamente direcionada ao meia do Milan (ITA) e também a Ronaldinho Gaúcho.Veja também: Adriano diz querer que Argentina tenha medo Robinho quer o lugar de Kaká nos Jogos Olímpicos "Às vezes nossas decisões não são simples, porque a mídia cria expectativa em torno de um jogador, mas ele não está com espírito de seleção brasileira e aí a gente tem que deixar fora", disse Dunga. "Para estar com a seleção, é preciso querer estar junto e participando bem em todos os jogos e competições."O técnico se esquivou quando questionado se faltou em Kaká a mesma vontade que Robinho tem demonstrado em querer participar das Olimpíadas de Pequim, na China, que acontecem em agosto. Saiu pela tangente também quando questionado se o meia do Milan não deveria ter antecipado sua cirurgia corretiva no joelho esquerdo para que pudesse voltar a tempo de enfrentar Argentina e Paraguai pelas Eliminatórias.Jorginho, auxiliar de Dunga, havia criticado Kaká na véspera por achar que ele privilegiara o Milan em detrimento à seleção. Mas, senta sexta, Jorginho ficou calado ao lado de Dunga durante a coletiva. "Não foi uma surpresa pra mim", disse o treinador, sobre a cirurgia de Kaká, feita semana passada no Rio. "Ele já vinha com essa lesão há algum tempo."Quando questionado se conta com um retorno do meia nos jogos contra Argentina e Paraguai, dias 15 e 18 de Junho pelas Eliminatórias do Mundial de 2010 na África do Sul, Dunga limitou-se a dizer que não sabe. "Temos tempo até lá."Mancando muito devido a uma operação no joelho direito no mês passado, Dunga não poupou elogios aos que não recusaram convocação para os amistosos contra Canadá e Venezuela nos Estados Unidos. Somando o período de preparação para os jogos contra Argentina e Venezuela, serão 22 dias de reunião com a seleção. "A grande maioria destes jogadores está em fim de temporada e, mesmo assim, veio pra cá demonstrando vontade e alegria de estar com a seleção, quando poderiam estar com a família. Isso me deixa entusiasmado."Se Kaká e Ronaldinho já andaram mais prestigiados com Dunga, Adriano parece ter reconquistado o treinador. O 'Imperador' pode até ficar no banco de reservas contra o Canadá nesta sexta que o treinador tem certeza de que ele não vai ter nenhum ataque de estrelismo e reclamar da situação - como Ronaldinho já fez no passado, quando colocado no banco por Dunga no início de seu trabalho na seleção. "Adriano teve um período não bom, mas conseguiu dar a volta por cima no campo e merece estar aqui."Robinho também está com moral. Dunga não viu nenhum problema no fato de o atacante ter "se convocado" para as Olimpíadas, ao dizer que já tinha adiantado sua liberação do Real Madrid (ESP) em agosto. "A vontade que o Robinho tem demonstrado em vestir a camisa da seleção dá direito a ele de ser um dos postulantes dessas três vagas (cada seleção tem o direito de convocar três atletas com mais de 23 anos)", disse Dunga, sem adiantar quem serão os convocados para Pequim. "Ainda tem tempo pra isso. A prioridade são os jogos das Eliminatórias. E pra quem quiser jogar a gente vai conseguir liberação. Vai ser difícil, mas quem quiser ser liberado vai conseguir."No entanto, Kaká já é carta fora do baralho, pois o meia disse que o Milan já antecipou que não vai liberá-lo. "Quem paga o salário dele é o Milan. É a legislação da FIFA e nós não entraremos em conflito. A gente cumpre o que a FIFA diz", declarou Dunga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.