CHRISTOPHE SIMON|AFP
CHRISTOPHE SIMON|AFP

Dunga minimiza possíveis protestos políticos durante o jogo da seleção

Treinador espera que o público seja 'inteligente' neste momento

Daniel Batista. enviado especial a Recife, O Estado de S. Paulo

25 de março de 2016 | 10h45

O Brasil vive um momento turbulento em sua vida política, mas isso não parece chegar aos jogadores e comissão técnica da seleção brasileira. Os atletas mostram que estão a par de tudo que acontece e o técnico Dunga espera que a neutralidade continue também durante o jogo com o Uruguai, nesta sexta-feira, às 21h45, na Arena Pernambuco.

"Torcedor é inteligente e sabe que são coisas distintas. Temos que nos focar naquilo que a gente sabe fazer que é futebol. Dentro de campo, cada um dará seu máximo. Fora, tem pessoas capacitadas para dar resposta no momento oportuno", disse o treinador da seleção brasileira.

Dunga explicou ainda que a decisão de evitar comentar sobre política é por uma questão de coerência. "Tem vezes que eu reclamo que o pessoal está a 10 mil quilômetros de distância e ficam me julgando. Eu não seria leviano de fazer a mesma coisa. Tem pessoas capacitadas para fazer uma avaliação melhor", comentou.

O zagueiro Gil falou do assunto no começo da semana e espera que a seleção possa servir como uma oportunidade do brasileiro poder voltar a sorrir e relaxar. "O torcedor ama o futebol e temos a oportunidade de poder passar coisas boas dentro de campo. Estamos fora, mas estamos acompanhando tudo que acontece no Brasil. Queremos fazer um grande jogo para poder dar alegria aos brasileiros", projetou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.