Juan Mabromata/AFP
Juan Mabromata/AFP

Dunga põe em jogo invencibilidade contra a seleção colombiana

Treinador nunca perdeu para a Colômbia, mesmo como jogador

ALMIR LEITE E GONÇALO JUNIOR, enviados especiais a Santiago, O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2015 | 14h05

Se depender do retrospecto do técnico Dunga, a seleção brasileira já pode contar com o aumento de sua invencibilidade (11 vitórias seguidas depois da Copa do Mundo), no jogo com a Colômbia. O treinador jamais perdeu para os rivais da noite desta quarta-feira, em Santiago. Desde os tempos em que era jogador. Foram duas vitórias e um empate como atletas e uma vitória e dois empates com Dunga no banco de reservas.

Aliás, foi contra a Colômbia que Dunga marcou seu único gol na história da Copa América. Isso ocorreu em 1997. O Brasil venceu por 2 a 0. Foi a última vez que as equipes se enfrentam na competição. Nos outros dois encontros, também pelo torneio, ocorreu um empate (0 a 0, em 1989) e uma vitória brasileira (3 a 0, em 1995).

Como treinador, Dunga empatou duas vezes com a Colômbia, ambas pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, disputada na África do Sul. Foram dois 0 a 0, em partidas realizadas em Bogotá (2007) e no Rio de Janeiro (2008). E teve uma vitória, por 1 a 0, no ano passado, nos Estados Unidos, justamente no jogo que marcou o retorno do treinador ao comando da seleção.

Mas Dunga não considera os números. "Passado é passado. Se o passado fosse bom era presente. A Colômbia tem respeito pelo Brasil, assim como respeitamos eles."

Estatisticamente, a favor da Colômbia apenas um aspecto: na única vez que venceu o Brasil em Copa América, por 2 a 0 em 1991, o jogo ocorreu em território chileno. Foi no estádio Sausalito, em Santiago. Dunga, óbvio, não era o treinador - o Brasil era comandado por Falcão. Nos outros confrontos entre as duas seleções foram sete triunfos brasileiros e um empate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.