Jonne Roriz/AE
Jonne Roriz/AE

Dunga prevê muito descanso e pouco treino na reta final

Técnico da seleção brasileira prioriza recuperação do grupo após desgaste acumulado na primeira fase da Copa

ANDRÉ CARDOSO, Enviado Especial - Agência Estado

29 de junho de 2010 | 06h42

Na reta final de disputa da Copa do Mundo na África do Sul, o técnico Dunga promete fazer pequenas mudanças na preparação da seleção brasileira. A partir de agora, os treinos serão mais leves e haverá mais tempo de descanso, para que os jogadores possam se recuperar melhor de um jogo para o outro. Assim, o Brasil espera estar pronto para enfrentar a Holanda na sexta-feira, em Port Elizabeth, pelas quartas de final da competição.

Veja também:

linkEquilíbrio marca confronto Brasil x Holanda

linkBrasil e Holanda classificam e se enfrentarão pela 3.ª vez em mata-mata

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador

A preparação brasileira para a Copa começou no dia 21 de maio, com a apresentação em Curitiba. No começo, a comissão técnica exigiu muito esforço físico dos jogadores, para que todos aguentassem a maratona que viria pela frente. Mas, assim que a competição começou, a carga de trabalho foi diminuindo progressivamente. Agora, segundo Dunga, a prioridade é só fazer a recuperação do grupo após o desgaste acumulado.

"A cada dia que passa, o treino é menor. Agora, o trabalho é recuperar os jogadores", explicou Dunga, após a vitória do Brasil sobre o Chile, por 3 a 0, na segunda-feira, em Johannesburgo, pelas oitavas de final da Copa. Segundo o treinador, o planejamento foi feito para que, nesse momento decisivo, a seleção pudesse suportar a exigência dos desafios que terá pelo caminho. "Daqui para frente, serão todos jogos bonitos e estressantes."

A preocupação de Dunga é com os mínimos detalhes. "Na recuperação após os jogos, os jogadores têm que ter uma alimentação especial, não podem ficar muito tempo em pé e não podem ficar acordado até tarde no computador. Precisam descansar", avisou o treinador, que promete controlar até mesmo o ímpeto do grupo durante os treinamentos. "Eles têm que deixar a empolgação dos treinos para os jogos."

CONTUNDIDOS - Além do desgaste físico dos jogadores, outra preocupação da seleção é recuperar aqueles que sofreram lesão. O meia Elano, por exemplo, foi desfalque nos dois últimos jogos, após a forte pancada na perna direita que levou durante o confronto com a Costa do Marfim. Titular absoluto do time, ele ainda não tem volta confirmada para enfrentar a Holanda, mas deve ter condições de atuar.

Outros dois problemas de contusão no grupo do Brasil envolvem o volante Felipe Melo e o meia Júlio Baptista, que sofreram torções no tornozelo esquerdo e no joelho esquerdo, respectivamente, durante o jogo contra Portugal, no final da primeira fase. Ambos foram desfalque na vitória diante do Chile nas oitavas de final e podem ficar de fora também do próximo compromisso, sexta-feira, contra a Holanda.

 

 

 

 

link

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.