Dunga quer escalar jogadores pendurados contra Equador

Sete jogadores, entre eles Robinho, correm risco de desfalcarem a seleção na seqüência da Copa América caso recebam mais um cartão amarelo na quarta

Agencia Estado

03 de julho de 2007 | 14h36

A vitória sobre o Chile, por 3 a 0, no último domingo, deu mais tranqüilidade para a seleção brasileira, mas um detalhe está dando um pouco de dor de cabeça para a comissão técnica. Para a partida contra o Equador, nesta quarta, em Puerto La Cruz, que vale vaga na segunda fase da Copa América, nada menos que sete jogadores estão ´pendurados´ caso o Brasil consiga a classificação: Robinho, Mineiro, Elano, Gilberto, Alex, Daniel Alves e Afonso.De acordo com Jorginho, auxiliar do técnico Dunga, a intenção é escalar todos os titulares, sem se preocupar com cartões amarelos. "A princípio, todo mundo joga. Vamos analisar direitinho caso a caso para depois anunciar a equipe. Mas não vemos motivos para poupar ninguém", disse Jorginho, durante o treino dos reservas em Puerto La Cruz, nesta segunda-feira.Quem atuou durante grande parte do jogo contra o Chile fez apenas um trabalho de regeneração no hotel da seleção. Todos, na sala de musculação e na piscina, tinham a certeza de que a vitória sobre os chilenos trará inúmeros benefícios para a seleção na seqüência da competição na Venezuela."A tendência é melhorar cada vez mais. O jogo contra o Chile era complicado, pela obrigação de vitória, o que conseguimos. Agora, temos a tranqüilidade para jogar um futebol ainda melhor", disse o capitão Gilberto Silva.Robinho, disparado o melhor em campo e autor dos três gols do Brasil, ressaltou que a tendência é a equipe ter um melhor desempenho daqui para frente. "Mostramos contra o Chile que temos condições de melhorar ainda mais. Foi uma vitória que estávamos precisando", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa Américaseleção brasileira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.