Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Dunga quer o fim da dependência da seleção brasileira por Neymar

'Quanto mais coletivo é o time, mais a individualidade aparece', diz

RONALD LINCOLN JR. E SILVIO BARSETTI, O Estado de S. Paulo

05 Março 2015 | 12h01

O técnico Dunga disse nesta quinta-feira que pretende deixar a seleção brasileira menos dependente de Neymar. Ele elogiou a evolução do atacante do Barcelona, mas ressaltou que o time tem outros jogadores que são protagonistas em seus clubes e que precisam ter mais atitude quando defendem a equipe nacional.

"Não se pode esperar que um jogador resolva tudo", comentou o treinador. "Quanto mais coletivo é o time, mais a individualidade aparece. Tem a ver com Neymar, mas com os outros também. A seleção tem jogador do Chelsea, do Monaco, do Botafogo. Eles se destacam nos clubes, e também podem fazer o mesmo na seleção", declarou Dunga, durante entrevista coletiva na sede da CBF, no Rio, onde anunciou os convocados para os amistosos contra França e Chile.

O treinador espera que a boa fase de Neymar possa contagiar os demais companheiros. "No momento que botou a faixa de capitão, ele teve um upgrade. Quanto maior a responsabilidade, mais ele cresce. É um jogador importante para a seleção e está fazendo história no futebol europeu. Além disso, serve de exemplo para os companheiros. Que continue nos dando alegria", ressaltou.

O Brasil enfrenta França e Chile nos dias 26 e 29 de março, respectivamente. O primeiro amistoso da seleção no ano vai ser realizado em Paris. O outro, em Londres. Para Dunga, as partidas vão ser fundamentais visando a preparação para a Copa América, que será realizada entre 11 de junho e 4 de julho, no Chile, e as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

Mais conteúdo sobre:
futebol seleção brasileira Dunga Neymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.