Dunga quer o seu lugar no futebol

O tempo não diminuiu a eterna indignação de Dunga. Aos 39 anos, e há quatro longe dos gramados, o capitão da seleção tetracampeã fala com a veemência de quem se sente responsável pelo futuro do futebol brasileiro. Coordenador do Jubilo Iwata, do Japão, participante do Conselho Nacional do Esporte e responsável pelo projeto social Esporte Clube Cidadão, ele se prepara agora para assumir a missão da qual, ele sabia, não conseguiria fugir: ser técnico de futebol.Leia mais no Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.