Dunga será julgado pelo STJD por expulsão em amistoso

Expulsão do técnico no jogo contra o México será analisada pelo Tribunal no dia 12 de novembro

26 de outubro de 2007 | 20h55

Pela primeira vez, um técnico da seleção brasileira vai ser julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter sido expulso em amistoso da seleção. Dunga e também o meia Elano terão de responder no tribunal, com sede no Rio, pelos atos no jogo do Brasil contra o México, realizado em 12 de setembro, nos Estados Unidos. Dunga foi expulso por reclamação e Elano, por falta violenta. A medida inédita em tribunais brasileiros decorre de uma nova orientação da Fifa. A entidade enviou o relatório do árbitro do jogo à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a quem determinou providências na esfera da justiça esportiva. A CBF então encaminhou a documentação ao presidente do STJD, Rubens Approbato. "Se houver condenação, vamos encaminhar a ata do julgamento à Fifa, para que ela possa dar seqüência ao caso, determinando de que forma os punidos devem cumprir a pena", disse Approbato. O Procurador do tribunal, Paulo Schmitt, disse que não sabe ainda em que artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva os dois serão enquadrados. Também não anunciou a data do julgamento. "Pelo seu caráter excepcional, temos de estudar o caso. Acho que esse julgamento deve ser realizado diretamente pelo Pleno [segunda instância]. Quero estudar melhor o código disciplinar da Fifa para formalizar a denúncia", disse Schmitt. Convocação na próxima quarta-feira O técnico Dunga irá convocar na próxima quarta-feira, dia 31 de outubro, os 22 jogadores que defenderão o Brasil nas partidas das Eliminatórias Sul-Americanas contra Peru (dia 18 de novembro, no Estádio Monumental, em Lima) e Uruguai (dia 21 de novembro, no Morumbi, em São Paulo).

Tudo o que sabemos sobre:
Dungaseleção brasileiraSTJD

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.