Dunga treina a seleção com Fred e Rafael Sóbis no ataque

O time titular do Brasil que enfrentará a seleção de Portugal nesta terça-feira à tarde (18 horas de Brasília) deve ter uma formação bastante ofensiva. Tudo depende do técnico Dunga confirmar a equipe que participou do treino leve disputado nesta tarde, no Emirates Stadium, em Londres.Como perdeu três jogadores por contusão - Ronaldinho e Alex, cortados, e Robinho, machucado e em tratamento no hotel - Dunga não pôde realizar um coletivo. Assim, teve que se contentar com um treino entre ataque e defesa titular, o que deu a impressão da formação do time com Helton; Maicon, Lúcio, Juan e Gilberto; Edmílson, Gilberto Silva, Elano e Kaká; Rafael Sóbis e Fred.Na entrevista coletiva, o técnico não quis confirmar se este é o time que começa o jogo. "Ainda não pude conversar com os jogadores, muitos chegaram na hora do almoço, vamos aguardar. Estou com dificuldades por ter perdido três jogadores do lado esquerdo e posso mudar um pouquinho o esquema. Vou definir somente nesta terça", disse. O principal motivo da dúvida é a quanto a confirmação do ataque, com Fred e Rafael Sóbis, que atuariam juntos na seleção pela primeira vez, o que forçaria o atacante Adriano a ficar no banco de reservas. Se fizer isso, Dunga está mantendo a coerência de que, quem é recém-convocado fica no banco e, aos poucos, entra no time, independente de sua experiência. Fez isso com Kaká e Ronaldinho, inclusive.A base está mantidaPara o técnico do Brasil, 70% da equipe que irá disputar as competições neste ano já está fechada. ?Mas ninguém pode se acomodar. Posso mudar isso a qualquer momento. Vem para a seleção quem quer jogar. Não quem quer apenas estar na seleção. Mas ninguém aqui joga contra sua vontade e todos precisam assumir suas responsabilidades. Todos precisam estar prontos para jogar. Na seleção, os 22 são titulares?, disse Dunga. Um que poderia ganhar uma chance seria Adriano, que volta a equipe depois das duras críticas pelo seu fiasco no Mundial. ?Agora estou com a cabeça no lugar e mais tranqüilo. Passei um momento ruim na Inter e dei volta por cima. Agora quero dar volta por cima também na seleção?, disse. ?2006 foi um ano que serviu de lição?, completou o atacante, que agora aceita as criticas feitas contra ele durante a Copa do Mundo. Ronaldo tem portar abertas, mas apenas se jogar bem. ?Se no momento certo estiver bem, portas estão abertas?. Vai depender dele mais que dos outros?. Para Dunga, jogadores querem mostrar que Copa foi um acidente. (Com Jamil Chade)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.