Dupla desencanta, Grêmio goleia o Ypiranga e avança no Gaúcho

Borges e André Lima marcaram três gols na vitória por 5 a 0, que levou o time à semifinal

AE, Agência Estado

20 de fevereiro de 2011 | 18h29

PORTO ALEGRE - Após três jogos, finalmente a dupla de ataque gremista, formada por Borges e André Lima, desencantou. Neste domingo, eles foram responsáveis por três dos cinco gols da vitória do Grêmio por 5 a 0 sobre o Ypiranga, resultado que levou o time tricolor às semifinais do primeiro turno do Campeonato Gaúcho.

Na próxima etapa do estadual, o Grêmio terá pela frente o Cruzeiro de Porto Alegre. Na outra semifinal, o São José encara quem passar de Caxias e Veranópolis. O Inter, que poderia ser o adversário gremista na próxima fase, foi eliminado no sábado com o seu time B.

Sem Carlos Alberto, poupado, Renato Gaúcho abdicou do esquema ofensivo que testou contra o Oriente Petrolero. Lançou Adilson no time e reforçou a marcação, com dois volantes. O sistema deu certo e logo com um minuto e meio de jogo o Grêmio abriu o placar no Olímpico. Douglas cruzou e André Lima empurrou para a rede. O atacante, aliás, entrou em campo com a camisa de número 99 e deve mantê-la durante a temporada.

No segundo gol, André Lima tabelou com o lateral Gabriel e chutou forte, sem chances para Bruno Grassi. Fazendo média com a torcida, que o apoiou mesmo quando atuou mal, o atacante comemorou cada gol com uma organizada.

Aos 32 minutos saiu o terceiro gol. Fábio Rochemback cobrou falta na área e Douglas desviou de cabeça para marcar. A goleada, porém, veio só no segundo tempo. Primeiro, Borges marcou completando cruzamento de Lúcio. Depois, o jovem estreante Leandro, de 17 anos, invadiu a área pela direita e fez o quinto.

O jogo teve ainda um momento de muita preocupação. O zagueiro Glauco, do Ypiranga, se chocou com o goleiro do seu time e ficou zonzo. Depois, desmaiou no campo. Como o Ypiranga não tinha médico no Olímpico, o jogador foi atendido por Paulo Rabaldo, médico gremista. Glauco demorou a responder aos estímulos, a ambulância também demorou a entrar em campo, mas o jogador depois se recuperou e acabou sendo levado para o hospital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.