Dupla Ro-Ro leva a torcida ao delírio

O torcedor gaúcho lotou o Estádio Beira-Rio - cerca de 45 mil pessoas - para exaltar o futebol de dois dos maiores dribladores do futebol mundial na atualidade, Ronaldinho Gaúcho, do Barcelona, e Robinho, do Santos. A nova dupla Ro-Ro teve grande atuação, humilhou os paraguaios em diversas ocasiões e levantou o público nas arquibancadas.Ninguém sentiu falta de Ronaldo, porque seu substituto, Robinho, demonstrou personalidade e experiência, apesar dos 21 anos de idade. Os gaúchos pareciam prever que Robinho não decepcionaria. Sobraram aplausos em sua entrada em campo. Só não foi mais ovacionado do que Ronaldinho, o atleta da casa e o gaúcho mais famoso do planeta hoje. A cada drible, euforia entre os espectadores."Fica Robinho, fica Robinho", pediram os torcedores, engrossando o coro dos santistas. "Esse Robinho é impressionante", comentou, entusiasmado, Germano Rigotto (PMDB), governador do Rio Grande do Sul, presente no Beira-Rio. O político aproveitou a ocasião para se expor nacionalmente. No sábado, ofereceu almoço aos jornalistas credenciados para a cobertura da partida entre Brasil e Paraguai.O auge da alegria do público ocorreu no lance do segundo gol brasileiro, em que Robinho arrancou da intermediária, pedalou - jogada característica do atacante -, como havia prometido na sexta-feira, passou fácil pela zaga do Paraguai e sofreu pênalti. Ronaldinho coroou o lance com cobrança perfeita de pênalti. Os dois foram os primeiros a se abraçar na comemoração do gol, que praticamente assegurou a vitória brasileira. "É bom poder vir à minha cidade e dar alegria ao povo gaúcho e ao povo brasileiro", festejou o craque do Barcelona.Um dos poucos que não agradaram foi o lateral-direito Belletti, colega de Ronaldinho no Barcelona. O jogador teve desempenho fraco e acabou vaiado. Os torcedores gritaram insistentemente o nome do são-paulino Cicinho, que não foi convocado para os jogos com Paraguai e Argentina, mas estará na Copa das Confederações.A festa só não foi completa porque houve confusão num dos setores das arquibancadas do Beira-Rio. O incidente não foi sério, mas exigiu a presença da polícia. Entre os famosos, estiveram no estádio Maurício de Souza, criador da Turma da Mônica, e Dunga, capitão da seleção brasileira campeã mundial em 1994.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.