Duprat confirma que vai repassar a MSI a Berezovski

Renato Duprat se diz interventor da parceria Corinthians/MSI. Há dois meses, o ex-empresário da Unicor prepara um estudo para revender o contrato de oito anos do futebol corintiano ao magnata russo Boris Berezovski, 60 anos, que deve vir ao Brasil no Carnaval. Em 20 minutos de conversa, Duprat confirmou que vai a Londres no fim de semana e que Boris é sua primeira opção para a revenda da parceria.?Tenho outras duas propostas, uma em Israel e outra na Europa, num país que prefiro não revelar.? Duprat disse ter carta branca do presidente Dualib para fazer a operação. ?O Boris precisa pagar ao Corinthians R$ 30 milhões, que é o déficit do clube. Se fizer isso, passa a ser o novo representante da parceria.?Duprat disse estar no ?jogo? somente porque quer receber R$ 7 milhões que a MSI lhe deve por intermediar o acordo há dois anos. Revelou que as receitas mensais do Corinthians são de R$ 2,2 milhões e as despesas, de R$ 3,2 milhões. ?Temos um rombo de R$ 1 milhão por mês. Por isso, pedimos R$ 4 milhões na Federação Paulista.? Pela suas contas, o clube precisa baixar R$ 600 mil na folha. Duprat disse que ainda conversa com Kia. ?Ele segue na MSI, mas em outras unidades de negócio.?A MSI cobra retorno de R$ 60 milhões dos R$ 150 milhões investidos. ?Esse dinheiro precisa ser feito na venda de atletas. Por isso estamos tentando negociar o Marcelo Mattos.?Oferecendo os meninosDuprat vai oferecer a Berezovski 200 atletas, entre profissionais e amadores. ?É com esse elenco que ele poderá fazer dinheiro. O acerto daria a ele 50% dos direitos de todos os jogadores formados na base.? No último jogo, havia seis no time de Leão, entre eles Wilson, Élton e William. Duprat diz que Boris deseja formar um time competitivo. De certa forma, isso dá um alento a Leão. O interventor confirmou a contratação por empréstimo do lateral Tamandaré, do Sport. O Corinthians pagou R$ 100 mil. O jogador deve estar no Pacaembu nesta quinta. A pedido de Leão, ele corre atrás de um zagueiro e um meia-direita. Disse não ter nomes. Faz parte ainda da estratégia do clube vender mais um ?pedaço? da camisa, as mangas, e o calção a novos patrocinadores.Se Boris ?recomprar? a parceria - a Polícia Federal sempre envolveu seu nome na transação com a MSI -, ele mandaria para o Brasil um homem de sua confiança que cuidaria de tudo. ?Eu nunca quis ser o Kia do Corinthians. Não sou de ficar vendo treinos e jogos. Sou uma pessoa de negócios?, disse Duprat.Berezovski, que mora em Londres, tinha presença no Brasil marcada para esta quinta-feira, mas como o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO) conseguiu uma sentença provisória pedindo sua prisão assim que desembarcasse no País, o russo desistiu da viagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.