Duque de Caxias encara o líder Vasco de olho na renda

Entre o Vasco, líder isolado da Série B, e o Duque de Caxias, em 16º lugar, são 22 pontos de diferença. Mas não é apenas a disparidade técnica que marca o confronto entre as duas equipes, neste sábado, a partir das 16h10, no Maracanã, pela 26ª rodada pelo campeonato. Enquanto o Vasco repete fenômeno que já ocorreu com outros grandes clubes brasileiros que foram rebaixados, colecionando recordes de público e fazendo boas campanhas, o Duque de Caxias sofre para sobreviver na segunda divisão nacional, principalmente por falta de recursos financeiros.

AE, Agencia Estado

26 de setembro de 2009 | 08h13

O Duque de Caxias é dono de nove dos dez piores públicos desta edição da Série B do Brasileiro - incluindo a incrível marca de apenas 25 pagantes na partida contra o Fortaleza, na semana passada, em Volta Redonda - e contabiliza prejuízos que superam os R$ 100 mil. Por isso, é fácil justificar a opção da diretoria do clube em mandar o jogo deste sábado para o Maracanã, na expectativa de que pelo menos 50 mil vascaínos encham o estádio e os cofres do Duque de Caxias, ajudando a pagar salários e a recolocar as contas no azul até o fim do campeonato.

"Não devemos nada. Estamos com os salários dos jogadores em dia", garantiu o presidente de honra do clube, Washington Reis, ex-prefeito de Duque de Caxias e atual secretário de obras da Baixada do Estado do Rio. "Mas é claro que passamos por dificuldade. É um clube novo, montado há quatro anos."

Segundo Washington Reis, uma parceria com a Federação de Futebol do Estado do Rio (Ferj) ajuda a manter o clube. Também seria a entidade que negociou o aluguel do estádio do América, Giulite Coutinho, para que o Duque de Caxias utilizasse na disputa da Série B. "Como o América também está jogando lá pela Série B do campeonato estadual, o gramado está muito ruim e resolvemos ir para Volta Redonda", disse o dirigente, negando que a razão principal tenha sido uma dívida de R$ 150 mil com o América, uma vez que as despesas estariam a cargo da Ferj.

Assim, o Duque de Caxias luta contra os adversários e a falta de torcida para pelo menos permanecer na Série B, o que já seria uma grande vitória - se perder neste sábado, fica parado nos 30 pontos e corre o risco de terminar a 26ª rodada na zona de rebaixamento (poderia ser ultrapassado pelo América). Para isso, sonha com pelo menos um empate no jogo deste sábado, que já estragaria a festa vascaína no Maracanã.

Para o Vasco, a decisão do Duque de Caxias de transferir o jogo para o Maracanã foi uma boa notícia. Assim, o time jogará perto do seu torcedor, em busca da quarta vitória seguida no campeonato. Com 52 pontos, não corre o risco de perder a liderança nem em caso de derrota neste sábado. Mas o técnico Dorival Júnior, mesmo contando com força máxima, quer evitar a euforia, lembrando que o acesso ainda não está garantido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.