Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

'É cedo', diz Ney Franco sobre Luis Fabiano na seleção

Para o técnico do São Paulo, atacante tem perfil para voltar a representar o País, mas não está pronto

AE, Agência Estado

29 de agosto de 2012 | 12h34

SÃO PAULO - Os dois gols marcados na vitória por 2 a 1 diante do Corinthians, no último domingo, fizeram com que o nome de Luis Fabiano voltasse a ser especulado para a seleção brasileira. Mas, nesta quarta-feira, o técnico do jogador no São Paulo, Ney Franco, lembrou do seu histórico recente de lesões e avaliou que ainda "é cedo" para pensar em uma nova convocação.

"A seleção é questão do momento. O Luis Fabiano tem perfil, já disputou Copa e no Brasileiro fez nove gols em nove partidas. Passou por problemas físicos, requer cuidado, mas tem currículo. Ainda pode, no futuro, ir para seleção, mas é cedo. Ele sabe disso, vai depender do desempenho dele", declarou o treinador, em entrevista à TV Bandeirantes.

O retrospecto do atacante no Brasileirão, aliás, reflete seu atual momento. Apesar da ótima média de um gol por jogo e da artilharia da competição - ao lado de Vágner Love e Fred -, Luis Fabiano não conseguiu uma sequência e ficou fora de dez partidas da equipe.

No domingo, no entanto, o jogador mostrou porque é considerado um dos melhores atacantes do Brasil e deu "tranquilidade" para a semana do São Paulo. "Ficamos mais tranquilos, mas não acomodados. O Campeonato Brasileiro não dá tempo para remoer as derrotas e nem para curtir muito as vitórias. Mas o resultado no clássico teve reflexo positivo", disse Ney Franco.

Já pensando no confronto diante do Botafogo, nesta quinta, no Morumbi, pela 20.ª rodada do Campeonato Brasileiro, o técnico são-paulino revelou uma preocupação: os cartões amarelos. No total, são dez jogadores pendurados, que ficarão de fora do jogo contra o Bahia, no domingo, se forem advertidos. São eles: Rodrigo Caio, Osvaldo, João Filipe, Denilson, Douglas, Jadson, Lucas, Luis Fabiano, Maicon e Paulo Miranda.

"Para os pendurados, pedimos para não provocarem o terceiro amarelo. Tem que jogar o máximo com esses cartões, porque temos o Botafogo agora e depois o Bahia, que é muito difícil também. Então tem que ter bom desempenho na parte técnica e disciplinar", comentou Ney Franco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.