Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

'É hora do Palmeiras mostrar a qualidade do seu elenco', cobra Prass

Goleiro diz que grupo é forte e não pode reclamar de desfalques

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2015 | 15h49

O Palmeiras contratou 24 jogadores desde o início da temporada e um dos argumentos mais utilizados pela diretoria e jogadores para defender a busca por reforços era o de que um amplo elenco permitira ao time sonhar com conquistas maiores. Para o goleiro Fernando Prass, chegou a hora de mostrar que tudo isso não é apenas discurso, já que a tendência é ver mais atletas deixando a equipe por problemas musculares ou suspensão. Para a partida com o Atlético-MG, o volante Arouca não deve ter condições de jogo.

"Não é um privilégio do Palmeiras. Agora serão dois meses de jogo nas quartas-feiras e aos domingos. Vamos ver jogadores saindo no meio do jogo, deixando de jogar por causa de lesão. Para gente é ruim, porque são dois jogadores (Arouca e Gabriel) do mesmo setor e é uma situação difícil de se superar. Hora de colocar o discurso em prática. Sempre falamos que o time era bom", disse o goleiro palmeirense.

A missão do técnico Marcelo Oliveira é conseguir encontrar uma dupla de volantes para encarar o Atlético-MG. Sem Gabriel, o treinador tem utilizado Andrei Girotto e já testou Amaral. "Se não conseguirmos substituir com as mesmas características, teremos que encontrar outras soluções", reforçou Prass.

E é o que Marcelo Oliveira deve fazer. Sem Arouca, o treinador pode repetir a formação utilizada por alguns minutos no jogo contra o Cruzeiro, com Andrei, Cleiton Xavier e Zé Roberto. "A readaptação ao novo sistema e posicionamento que tínhamos em relação ao time com Gabriel deve acontecer com o temo e com treino. O que menos temos tempo para fazer agora é treinar. Então, temos que aproveitar o máximo possível o pouco tempo disponível para tentar acertar vendo vídeos e na conversa", finalizou o goleiro.

O fato do time não conseguir jogar bem, mesmo com vitórias nos últimos dois jogos, é algo que Prass entende ser normal até mesmo nos clubes que estão brigando pelas primeiras colocações. "Tivemos uma sequência de três derrotas. Sabemos que podemos render mais. A gente vê os dois líderes do campeonato ficando sem vencer também. O Corinthians acabou de perder para o Santos (pela Copa do Brasil) e com dificuldades no Brasileiro, apesar da liderança. O Grêmio, há rodadas atrás, teve uma sequência ruim também. Menos mal que vamos conseguir consertar isso em cima de vitórias."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasFernando Prass

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.