'É mentira que o Campeonato Paulista não vale nada', diz Muricy após título do São Paulo

'É mentira que o Campeonato Paulista não vale nada', diz Muricy após título do São Paulo

Coordenador de futebol ficou emocionado com a conquista após quase nove anos de jejum

Redação, O Estado de S. Paulo

23 de maio de 2021 | 21h43

Bastante emocionado nas arquibancadas do Morumbi após a conquista do título paulista neste domingo, Muricy Ramalho, coordenador de futebol e ídolo do clube, valorizou a conquista do torneio estadual. O São Paulo não levantava uma taça desde 2012 e encerrou o jejum ao vencer o Palmeiras por 2 a 0 neste domingo

“A gente tem que jogar pelo torcedor. O torcedor queria o Campeonato Paulista. Esse negócio que não vale nada é mentira, vale sim, quem perde sente. Ganhamos do campeão da Libertadores e da Copa do Brasil”, afirmou o treinador, chorando. “Estou emocionado mesmo. Acho que não fiquei tão emocionado como fiquei hoje. Muitos anos sem ganhar”, afirmou o treinador que foi tricampeão brasileiro com o clube tricolor.

Para Muricy, o título dá confiança para o restante da temporada. Na terça-feira, o time enfrenta o Sporting Cristal, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores. O time já está classificado, mas deve ficar em segundo lugar da chave, atrás do Racing. “Temos de melhorar. Temos muita coisa para aprimorar, mas o título dá confiança para todos nós, jogadores, comissão técnica e os torcedores”, afirmou.

Muricy teve importância crucial na conquista, como, por exemplo, na definição da comissão técnica. Antes da contratação, Hernán Crespo foi apontado por Muricy como o mais indicado para o cargo, apesar da pouca experiência. “Lembro da primeira reunião via Zoom com o Muricy, o Rui Costa, o Belmonte, com o Casares, quando me deram a possibilidade, que acreditaram que essa comissão técnica eram as pessoas justas para trabalhar aqui”, afirmou o argentino.

Muricy também foi decisivo na montagem do elenco. Uma das peças-chave do grupo, o zagueiro Miranda, retornou ao clube por causa do coordenador de futebol. Sob o seu comando, Miranda, antes desconhecido, se consolidou como grande zagueiro e esteve, inclusive, cotado para defender a seleção brasileira na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. “Acabei escolhendo o São Paulo porque o Muricy me ligou. E a garantia dele de que o time voltaria a brigar por títulos foi o que motivou o meu retorno”, explicou o defensor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.