Divulgação/Inter
Divulgação/Inter

Edenilson promete Inter mais forte no ataque no jogo de volta contra o Tolima

Após empate sem gols na partida de ida, time gaúcho precisa ganhar em casa da equipe colombiana para avançar na Libertadores

Redação, Estadão Conteúdo

24 de fevereiro de 2020 | 14h38

A atuação do Internacional no empate por 0 a 0 com o Tolima, na última quarta-feira, surpreendeu pela falta de força ofensiva. Como os colombianos também não demonstraram muita disposição para atacar, a ausência de gols mostrou-se inevitável no jogo de ida do confronto da terceira fase eliminatória da Copa Libertadores. Segundo o meia Edenilson, porém, tudo será diferente na partida de volta, nesta quarta, no Beira-Rio.

O jogador argumenta que o Inter criou poucas chances de gol na Colômbia porque o time adversário estava bastante fechado e que em Porto Alegre os colorados serão muito mais fortes no ataque.

"O professor (Eduardo Coudet) pede para a gente jogar sempre da mesma maneira, mas às vezes tem coisas que dificultam", alegou o jogador. "A equipe deles marcou bem, dificultou o nosso jogo, não conseguimos atacar e achar os espaços que queríamos. Espero que em casa a gente consiga criar mais espaços e fazer gols."

É certo que o Inter precisará balançar a rede na quarta-feira para chegar à fase de grupos da Libertadores - a menos que conquiste a vaga nos pênaltis, após mais um empate por 0 a 0. Qualquer igualdade com gols dará a classificação à equipe colombiana, uma vez que os tentos marcados fora de casa são um critério de desempate no torneio sul-americano.

No segundo jogo contra o Tolima, o time gaúcho poderá ter a volta do lateral-esquerdo Moisés. Ele não jogou na Colômbia porque sofreu uma torção no tornozelo esquerdo no clássico contra o Grêmio, disputado há nove dias. Nesta segunda, o jogador fez o seu primeiro treino desde que sofreu a lesão e provavelmente será titular no Beira-Rio.

Caso Moisés não esteja pronto para jogar, ele será substituído por Uendel. Segundo Edenilson, o time vai ser forte com qualquer um dos dois.

"O Moisés está voltando, não sei as reais condições de jogo. Ele tem bastante força e chega à linha de fundo. O Uendel é mais passador e construtor, mas para a gente a mecânica é a mesma."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.