Alex Silva|Estadão
Alex Silva|Estadão

Treinador credita vitória do São Paulo à competitividade do time

'Com esse espírito estamos conseguindo os resultados', disse argentino

Daniel Batista, Estadão Conteúdo

29 de maio de 2016 | 20h09

Mais do que o resultado, os jogadores do São Paulo e o técnico argentino Edgardo Bauza comemoram a postura e a boa atuação na vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, neste domingo, no estádio do Morumbi, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Para o treinador, o segredo da evolução da equipe é a competitividade. "Trabalhamos para que a equipe funcione e quem entrar tem a obrigação de correr muito e se entregar. Caso contrário, sai do time. Começamos sem cinco considerados titulares e os que entraram tinham que se matar em campo. Com esse espírito estamos conseguindo os resultados", explicou Edgardo Bauza.

Na opinião do goleiro Denis, a vitória pode ser um divisor de águas para o São Paulo no Brasileirão. "Hoje (domingo) deu gosto de ver o time jogando. Precisávamos de uma vitória como essa no campeonato", afirmou o são-paulino, que precisou levar pontos no rosto, após receber um chute do atacante Alecsandro.

Este assunto, inclusive, foi um o único que tirou Edgardo Bauza do sério ao final do jogo. "O que me estranha é que o árbitro não tenha dado cartão para o jogador que lesionou o Denis. Não me entra na cabeça ter cortado o rosto dele em três lugares e dizer que é casual", protestou o técnico argentino.

Outro assunto que chamou a atenção foi uma discussão entre o zagueiro Maicon e o atacante Rogério ao final do jogo. "Me encanta que eles tenham discutido. Isso quer dizer que tenho atletas que querem ganhar", disse Edgardo Bauza. Já os dois jogadores falaram que a confusão foi por questão táticas e que no vestiário já se acertaram. Quanto ao atacante argentino Jonathan Calleri, cortado da lista dos relacionados por causa de dores na coxa esquerda, ele também não deve enfrentar o Figueirense, nesta quarta-feira, em Florianópolis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.