Edilson é reintegrado após briga

Depois de ter chegado às vias de fato com o veterano Evaristo de Macedo, o atacante Edílson, que foi cortado da partida do Vitória contra o São Paulo por indisciplina, se acertou com o treinador e foi reintegrado ao elenco nesta segunda-feira. O jogador é uma das poucas esperanças do time baiano para tentar escapar do rebaixamento nas duas partidas que restam contra o Cruzeiro no Mineirão e a Ponte Preta no Barradão.O clima no Vitória foi péssimo na semana passada, pois além da goleada por 5 a 1 para o Coritiba, ocorreu o desentendimento entre o principal jogador do time e o treinador às vésperas da importante partida contra o São Paulo quando o elenco precisava da mais absoluta tranqüilidade. Tudo começou com um assalto na Toca do Leão, na noite da quinta-feira, que deixou Edílson assustado. Com medo dos ladrões voltarem ele se recusou a concentrar na Toca, na sexta-feira. Alguns torcedores juram ter visto o jogador se divertindo na boate Rock in Rio naquela mesma noite, prestigiando o grupo de pagode "Oz Bambaz" que empresaria e estava se apresentando no local.Na manhã de sábado, ao se dirigir para a concentração, foi informado que Evaristo não permitiria que ele se reintegrasse ao elenco para o treino recreativo sem antes se dirigir ao supervisor do clube Mário Silva para apresentar oficialmente a justificativa por não ter se concentrado na Sexta. O jogador não aceitou a ordem, entrou no carro e foi embora para casa. Naquela mesma noite ele voltou à Toca do Leão, tentando ficar concentrado com o grupo, mas novamente foi barrado pelo treinador. Nesse momento houve uma áspera discussão. O próprio Edílson admitiu que chamou Evaristo de "velho" e o os dois trocaram xingamentos que passaram para dedos em riste e troca de tapas que só não evoluíram para socos por causa da interferência do volante Amaral, que "apartou" a briga.A partir daquele momento o jogador foi afastado do time, que entrou abalado para enfrentar o São Paulo sem seu principal jogador e acabou levando uma goleada de 4 a 1. Os repórteres de Salvador que cobrem o Vitória tinham certeza que, pela dimensão do desentendimento, um dos dois sairia do clube. Contudo, para surpresa de todos, Edílson compareceu nesta segunda-feira ao clube, conversou com diretores, jogadores e a comissão técnica, se retratou, e foi perdoado. Minutos depois já estava treinando no campo da Toca do Leão e aparentemente, se não houver uma reviravolta, o episódio foi encerrado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.