Edílson fica recluso só durante o dia

Edílson Pereira de Carvalho continua recluso em sua casa em um condomínio fechado em Jacareí. Tem evitado sair, até porque sabe que corre o risco de ser agredido por algum morador da cidade. A maioria dos conterrâneos de Edílson continua indignada com o escândalo de manipulação de resultados que ele protagonizou. O ex-juiz, por isso, prefere ficar em casa. Pelo menos durante o dia. À noite, dá suas escapadelas, segundo alguns vizinhos. E não tem deixado de fazer algumas coisas de que gosta, como churrascos com amigos. Um deles Edílson fez no dia em que foi libertado pela Polícia Federal, após cumprir prisão temporária de cinco dias. Saiu da sede da PF direto para casa, mas logo depois, ainda na madrugada de sexta-feira, deixou o condomínio para comprar carne e outros pertences para um animado churrasco com amigos, que só terminou com o dia claro. No fim de semana, evitou deixar o condomínio. Hoje, também não saiu de casa, mas durante à tarde mostrou-se bastante à vontade. Após receber um amigo, juiz da Liga Amadora de Jacareí, apareceu em frente de casa vestindo apenas uma bermuda azul e de chinelos. E não quis conversa. "Eu não vou falar com você. Se quiser ficar aí, fique, mas vai perder seu tempo?, foi o recado, curto e grosso, ao repórter da Agência Estado que esperava na porta do condomínio. Edílson parece não estar muito abalado com a confusão em que se meteu. "Ele não está nem aí?, garantiu Valter da Silva, morador da cidade, com ares revoltado. Mas sua família está sentindo. A mulher, Márcia, está bastante abalada, segundo algumas pessoas próximas. E a filha, Mariana, de 8 anos, chora constantemente. "Mesmo quando conversam com ela sobre outro assunto, logo começa a chorar?, disse uma vizinha. Em frente ao condomínio San Marino, já não há a movimentação da semana passada. No terreno do outro lado da rua, duas vacas magricelas pastavam tranquilamente na tarde de hoje e não se assustavam com o barulho dos poucos carros que passavam. Mas todos os motoristas diminuiam a velocidade e olhavam com curiosidade para o interior do condomínio. Alguns gritavam uma ou outra frase. "Olha o jogo, seu juiz?, disse um. "Que vergonha, hein?, falou o outro. Mas a síntese de como Jacareí vê Edilson Pereira de Carvalho foi dada por um adolescente, que pedalava calmamente sua bicicleta, quando foi abordado pela reportagem da Agência Estado. "Onde fica a casa do juiz?, foi a pergunta. "Ah, do ladrão? É mais para frente?, respondeu o rapaz.

Agencia Estado,

03 de outubro de 2005 | 19h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.