Edílson sai em defesa de Heber

O árbitro Heber Roberto Lopes não tem nada a ver com o esquema de manipulação de resultados de jogos do Campeonato Brasileiro. É o que garante Edílson Pereira de Carvalho, réu confesso no escândalo da arbitragem.O árbitro paranaense acabou envolvido na confusão porque o empresário Nagib Fayad, ao depor quarta-feira na CPI dos Bingos, disse suspeitar que o jogo em que o Botafogo bateu o Juventude por 3 a 2, no dia 11 de junho, pelo Brasileiro, teve seu resultado manipulado. Segundo o chefe da máfia do apito, a dica sobre a fraude na partida apitada por Heber foi dada pelo próprio Edílson.?O Heber não tem nada com isso. O que aconteceu foi que o Gibão (Nagib Fayad) queria apostar em uma rodada em que eu não apitaria e estava com medo de perder. Então, eu disse a ele que apostasse em um time do Rio, pois os árbitros têm medo de errar contra os cariocas, principalmente quando o jogo é o Rio. Não falei nomes??, explicou Edílson.O ex-árbitro definiu como coincidência o fato de Heber ter apitado aquela partida, realizada no Estádio Luso-Brasileiro, no Rio. ?Poderia ter sido outro. Eu iria falar a mesma coisa (apostar em um time carioca)??, afirmou Edílson.

Agencia Estado,

20 de outubro de 2005 | 19h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.