Edílson some e Japão fala em rescisão

Tetsuo Sugamata, dirigente do clube Kashiwa Reysol, manifestou neste sábado à agência Kyodo News, do Japão, sua preocupação com o fato de o atacante Edílson, que atua pelo clube japonês, estar há um mês e meio sem manter comunicação com o clube. O Kashiwa inicia sua preparação para a próxima temporada da J-League, a liga de futebol profissional japonês, no próximo dia 21 e o clube não conseguiu se comunicar com o atleta. Os dirigentes japoneses até cogitam a possibilidade de uma rescisão de contrato, caso Edílson não se reapresente na data marcada. ?Não temos qualquer notícia dele e isso afeta o moral da equipe?, declarou Tetsuo Sugamata.Edílson chegou ao Kashiwa em julho de 2002 depois de ter conquistado com a seleção brasileira o pentacampeonato mundial na Copa da Coréia/Japão. O jogador baiano firmou um contrato de seis meses com o clube. Ele já havia vestido a camisa do Reysol na temporada 1996/1997, quando jogou 54 partidas e marcou 44 gols.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.