Mauricio de Souza/ AE
Mauricio de Souza/ AE

Edinho critica decisão judicial que ordena sua prisão e se diz inocente

Condenado a 12 anos de prisão por lavagem de dinheiro, ex-goleiro publica nota afirmando estar sendo preso injustamente

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2017 | 15h24

O ex-goleiro Edinho, filho do rei Pelé, voltou a ter a sua prisão decretada nesta sexta-feira (31 de março). Acusado de lavagem de dinheiro e associação ao tráfico de drogas, ele se mostrou indignado com a decisão que o fará cumprir pena de 12 anos em regime fechado.

Em nota divulgada pela assessoria do ex-jogador e técnico, ele afirma estar sendo preso 'injustamente' e afirma que as dúvidas quanto aos crimes que foi acusado não foram esclarecidas.

"Infelizmente vou preso inocente (mais uma vez), acusado de lavagem de dinheiro, sem uma gota de evidência apontando para isso!", afirmou Edinho.

No último dia 23 de fevereiro, o TJ-SP condenou Edinho a pena de 12 anos, dez meses e 15 dias de reclusão em regime fechado e recomendou a prisão do ex-goleiro, que se apresentou no dia seguinte ao 5º Distrito Policial de Santos, no bairro do Bom Retiro, na zona noroeste da cidade, onde permaneceu preso até o dia 2 de março, quando foi liberado com um habeas corpus. O advogado do ex-goleiro prometeu recorrer da decisão.

Edinho foi inicialmente condenado a 33 anos de prisão, mas teve a sua pena reduzida para 12 anos. Ele foi preso em 2005 com mais 17 pessoas sob a acusação de envolvimento com uma organização criminosa que atuava na Baixada Santista.

Confira a íntegra da nota:

Infelizmente vou preso inocente (mais uma vez), acusado de LAVAGEM DE DINHEIRO, sem uma gota de evidência apontando pra isso! Depois de 13 anos de processo, o poder judiciário ainda NÃO consegue responder essas perguntas: 

 

1 - Que dinheiro foi lavado?

 

2 - Quanto dinheiro é?

 

3 - Onde está esse dinheiro?

 

4 - Existe uma conta bancaria relacionada a mim, Edinho, no processo?

 

5 – Recebi algum dinheiro ilícito de alguém?

 

6 - COMO esse dinheiro foi lavado, qual a forma ou o mecanismo de lavagem que foi encontrado?

 

7 - Existe ALGUM DOCUMENTO em que a acusação se apoia?

 

8 - Onde está o resultado dessa "lavagem"? Eu tenho (ou algum dia tive) bens ilícitos, hábito ou estilo de vida fora do meu real padrão financeiro? 

 

Por incrível que pareça, o poder judiciário não consegue responder essas perguntas. E mesmo assim, eu fui preso "EM FLAGRANTE" por um FATO INEXISTENTE, condenado a mais de 33 anos! UM ABSURDO! UMA COVARDIA! Reduzir a pena para 12 anos ainda é um absurdo e uma INJUSTIÇA! UMA TOTAL INVERSÃO DE VALORES! 

 

Mas eu sei que Deus escreve certo por linhas tortas, e a minha FÉ é inabalável E por isso, vou lutar até o fim, em busca de justiça! Eu continuo como SEMPRE ESTIVE à disposição da justiça e na esperança de encontrar coerência nela

 

E mesmo privado de minha liberdade vou ficar cada dia mais forte, porque, também sei que Deus tem coisas grandes e maravilhosas preparadas para mim!

 

Obrigado pela atenção!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.