Edmílson: dedicação total para voltar

O zagueiro Edmílson está fininho, de cabelos alisados e trabalhando sete dias por semana no centro de treinamento do São Paulo, na Barra Funda. Tenta recuperar-se de uma cirurgia de ligamento cruzado no joelho direito e sutura do menisco. Quer voltar o quanto antes, mas sem atropelar as fases do tratamento. Dois objetivos o motivam: retomar seu lugar no poderoso Barcelona, com quem tem contrato por mais quatro temporadas, e voltar a vestir a camisa da seleção, sobretudo para se garantir no time que irá com Parreira para a Copa de 2006.Sua dedicação parece a de um juvenil. "Chego ao CT às 8 horas da manhã e só saio lá pelas seis da tarde. Faço tudo o que tenho de fazer, almoço por lá mesmo e dou uma descansada para retomar as sessões no período da tarde", explica Edmílson. Ele tem feito trabalhos para fortalecer a musculação. Nada forte nesse primeiro momento. "Acho que faço umas 6 mil flexões. À tarde, fico na piscina."A previsão é que ele retorne a Espanha na metade de janeiro, para continuar no Barcelona seu trabalho de recuperação. A decisão de vir ao Brasil partiu dos diretores do clube espanhol. "Disseram-me que eu poderia aproveitar esse momento para também rever os familiares e respirar ares diferentes", comentou o jogador. Sua previsão de volta aos gramados é em março, quando a temporada do Espanhol estiver na fase decisiva.O jogador no Barcelona tem um companheiro de clube no CCT do São Paulo. É Thiago Motta, que sofreu lesão parecida, mas no joelho esquerdo. O Barça tem outros dois atletas que romperam os ligamentos do joelho. São eles, Larsson e Ogabri.O zagueiro brasileiro vislumbra parada indigesta para recuperar seu espaço em campo. "Jogar no Barcelona é tão difícil quanto jogar na seleção. Há atletas de muita qualidade e todos que entram atuam bem. Mas nada na minha vida é fácil e estou acostumado a enfrentar dificuldades", disse.Para Edmílson, o Barcelona está em momento mais favorável que o Real Madrid. "Pelo pouco tempo que fiquei no clube, já percebi que lá tem pessoas boas e muita qualidade em campo. Temos de aproveitar este melhor momento."Edmílson se machucou em 3 de outubro, num jogo contra o Numancia. Parreira ligou para ele e lhe passou tranqüilidade, deixando a porta da seleção aberta após sua recuperação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.