Edmílson lança Fundação em Taquaritinga

O zagueiro Edmílson, pentacampeão mundial pela seleção brasileira em 2002, que defende o Barcelona, lançou ontem à noite, em Taquaritinga, sua cidade natal, na região de Ribeirão Preto, a Fundação Edmílson Semeando Sonhos. As obras, que devem custar entre R$ 400 mil e R$ 500 mil, irão começar em janeiro e deverão ficar prontas para a inauguração no final de 2006. O terreno, de cerca de 12 mil metros quadrados, na Vila São Sebastião, onde Edmílson nasceu e cresceu, foi doado pela prefeitura. O jogador pretende atender pelo menos 300 crianças e retirá-las das ruas e dar apoio familiar. "Já tinha esse projeto no coração e não o concretizei antes, mas tudo tem um tempo e agora estou levando-o adiante", disse Edmílson, que no domingo retornará à Espanha para continuar a temporada pelo Barcelona, que é líder isolado da competição daquele país e ainda é um dos três invictos da Liga dos Campeões Européia e que também tentará conquistar a Copa do Rei. Edmílson, desde quando saiu do São Paulo, sempre conquistou títulos na Europa: foi tricampeão francês pelo Olympique de Lyon e campeão espanhol pelo Barcelona. No clube espanhol, porém, ficou oito meses parado, devido a uma cirurgia no ligamento cruzado anterior do joelho direito, mas agora está bem e pronto para integrar também a seleção brasileira na Copa do Mundo da Alemanha. "Particularmente, em 2006 poderei ter quatro grandes conquistas", comenta o zagueiro, de 29 anos. "Será um ano cheio de projetos." Entre os seus projetos, Edmílson acompanhará de longe, pela internet, telefone ou fax, o andamento das obras da Fundação que preside. Como instituidor, ele já doou à Fundação R$ 200 mil para o início das obras. As crianças terão um pequeno espaço para a prática do futebol, mas também salas para balé, pintura, informática, artesanato, de recreação, entre outras atividades. "Vamos colocar atividades em benefício das crianças", avisa Edmílson, que espera o apoio de empresários e da população de Taquaritinga para o sucesso da Fundação. Até dois prefeitos da região já manifestaram interesse em apoiar a iniciativa, segundo o jogador.Edmílson é o presidente da Fundação, mas o irmão, a irmã, o cunhado e alguns amigos integram a diretoria. O jogador garante que o objetivo da instituição não será revelar talentos para o futebol. "Se aparecer uma pedra preciosa poderemos encaminhá-la, mas não quero ser empresário nem procurador de jogador", afirma ele, otimista com o seu projeto particular. Nos próximos meses, ele poderá manter contatos com Raí e Cafu, dois amigos que também criaram fundações voltadas a atender crianças em São Paulo para trocar informações que poderão ser úteis à futura instituição de Taquaritinga.

Agencia Estado,

29 de dezembro de 2005 | 16h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.