Edmundo ataca arbitragem e pede profissionalização

Atacante critica até a assistente Ana Paula de Oliveira, capa da revista 'Playboy' no mês de julho.

Juliano Costa, do Jornal da Tarde,

23 de julho de 2007 | 19h06

Irritado com os erros de arbitragem contra o Palmeiras, Edmundo afirmou nesta segunda-feira que a classe de juízes e bandeirinhas precisa ser urgentemente profissionalizada. A ira do atacante respingou até na assistente Ana Paula de Oliveira, que não trabalhou em nenhum jogo do clube neste Campeonato Brasileiro. "Infelizmente, quem erra mais é premiado com capa de revista", ironizou o jogador de 36 anos, referindo-se ao ensaio de Ana Paula na Playboy, em julho.A bronca dos palmeirense é referente ao gol de Valdivia, mal anulado por impedimento pelo assistente Marrubson de Melo Freitas, na derrota para o Paraná (1 a 0), no último domingo, em Curitiba. O gol do chilena decretaria o empate e manutenção da série invicta do clube do Palestra Itália no Nacional, que chegou a cinco jogos.A diretoria fará um protesto formal na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) como antecipou o Jornal da Tarde. Edmundo é a favor da punição. "Errei contra o São Paulo, fui punido e impedido de realizar a minha profissão", disse ele, lembrando o gancho de dois jogos por entrada maldosa no zagueiro Miranda - o clássico paulista aconteceu no dia 27 de maio, no Morumbi, e terminou empatado sem gols.Edmundo disse ainda que diante de tantos erros da arbitragem "os atletas ficam de mãos atadas sem poder fazer nada". A profissionalização da classe é a única saída, segundo o jogador. "Nós vivemos num meio que é 90% profissionalizado. Só quem comanda o espetáculo que não é", desabafou. O atacante não quis se alongar nas criticas. "Uma vez falei que era coisa de bancário que fazia bico [apitar jogos do Brasileiro] e levei até processo" justificou.Depois de dois jogos na reserva - Santos (empate por 2 a 2) e Paraná (derrota por 1 a 0), o atleta de 36 anos deve voltar a ser titular contra o Vasco, na próxima quarta-feira, no Palestra Itália. "Existe uma boa chance de isso acontecer", afirmou o treinador Caio Júnior. "O Edmundo tem entrado muito bem nas partidas", acrescentou o técnico, sem dar mais detalhes referentes ao restante do time.Edmundo analisou como normal a experiência de ter ficado no banco nos últimos compromissos, mas lembrou que "atacante vive de gols". "Uma hora o problema foi suspensão e na outra a contusão [no tornozelo, que o deixou parado por cerca de quatro semanas], mas faz tempo que não faço", disse o camisa 7, que balançou as redes pela última vez na estréia do Palmeiras no Brasileirão, quando fez dois na vitória sobre o Flamengo por 4 a 2, no dia 13 de maio.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasEdmundoBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.