Edmundo deixa treino do Vasco após discutir com o técnico

'Fiquei até assustado. Quando vi, ele estava deixando o treinamento de cabeça baixa', diz o jovem Eduardo

Agência Estado

22 de fevereiro de 2008 | 19h07

O atacante Edmundo abandonou o treino do Vasco depois de um desentendimento com o técnico Alfredo Sampaio, o que deve deixar a situação do treinador ainda mais delicada. Na tarde desta sexta-feira, o atacante reclamou asperamente de uma entrada desleal de um companheiro, o lateral Eduardo, da equipe de juniores. Antes, o atacante já deixara claro o seu mau humor em pelo menos duas oportunidades, em que repreendeu em voz alta alguns jogadores, por erros cometidos no treino. Ao notar que o clima estava muito tenso, Alfredo Sampaio o chamou para uma conversa. Os dois discutiram no gramado e Edmundo resolveu então abandonar o treino e deixar São Januário de táxi. Quem estava perto ficou atônito com a reação de Edmundo. O próprio Eduardo, que completava o elenco profissional no treino, disse que nunca vira nada igual. "Fiquei até assustado. Quando vi, ele estava deixando o treinamento de cabeça baixa", comentou, em entrevista à Rádio Tupi. O incidente pode complicar a situação de Alfredo Sampaio. Ele se indispôs com o preparador físico Luiz Flávio, que pediu demissão no início da semana, e recebeu uma reprimenda pública do presidente do Vasco, Eurico Miranda, por ter criticado a participação do time num torneio em Dubai, em janeiro. A partir disso, foi proibido pelo dirigente de dar entrevistas. Embora o mal-estar desta sexta tenha sido provocado por Edmundo, o técnico teve sua autoridade questionada, o que deixa a impressão de que não tem poder suficiente para comandar a equipe. Com passagem em vários times pequenos do Rio, ele chegou ao clube como auxiliar de Romário, que não podia trabalhar como técnico, no banco de reservas, porque estava suspenso por doping, e acabou sendo efetivado depois que o Baixinho foi embora.

Tudo o que sabemos sobre:
VascoEdmundotreinobrigaabandono

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.