Edmundo marca dois gols e Vasco bate a Portuguesa

Atacante é o destaque do duelo, garantindo a primeira vitória do time carioca no Brasileirão deste ano

O Estado de S. Paulo

17 de maio de 2008 | 20h23

No jogo das colônias portuguesas, a Portuguesa visitou os "patrícios" do Vasco, em São Januário, e perdeu por 3 a 1. A Lusa segue sem vitórias no Campeonato Brasileiro, depois de duas rodadas, e com apenas um ponto. Os vascaínos comemoram seu primeiro triunfo e os três importantes pontos em seus domínios. Veja também: Classificação Calendário / Resultados Cruzeiro ganha dos reservas do Botafogo e mantém 100% Sport e Vitória não saem do 0 a 0 na partida em RecifeA Portuguesa contava com o bom início de partida de Edno para equilibrar a partida fora de casa. E foi dos pés dele que saiu a primeira e melhor chance dos paulistas. Diogo fez linda jogada pela esquerda, deixou Rodrigo Antônio no chão e passou a Edno, que carimbou o poste de Tiago, que confrontava-se com o time que ajudou a alçar à Primeira Divisão. Os vascaínos só responderam aos 21, quando Rodrigo Antônio deixou a zaga para forçar difícil defesa de André Luís, que espalmou nos pés de Mádson. Mas o goleiro da Lusa recuperou-se e tirou a bola do ala vascaíno com coragem. Não é à toa, porém, que não cresce grama onde goleiro pisa. Depois de duas belas intervenções, André falhou em chute colocado de Leandro Bomfim e soltou a bola nos pés de Leandro Amaral, que abriu o placar, aos 30 minutos. Sem poder ofensivo, a Portuguesa só assustaria em chute de fora da área de Diogo. Para o segundo tempo, o Vasco voltou com Edmundo no lugar de Alan Kardec, enquanto a Portuguesa trocou Carlos Alberto por Dias. E o domínio vascaíno se ampliou. Um minuto depois de Simon ter ignorado pênalti em Wagner Diniz, Edmundo tocou para Leandro Amaral, que dividiu com André Luís. Mas a bola sobrou para o Animal aumentar, aos nove minutos, diante da passiva defesa paulista. Vendo seu time completamente entregue, Benazi tentou injetar energia com as entradas de Rodrigo e Vaguinho. A Portuguesa melhorou, retendo mais a posse de bola, mas Diogo era o único clarão de lucidez e técnica. Os minutos finais esquentaram quando Rodrigo Antônio derrubou Diogo na área, aos 37 minutos. Ele mesmo cobrou bem e descontou. Mas a esperança do empate foi pelo ralo quando Bruno Recife fez falta dura em Wagner Diniz e foi expulso. No espaço deixado, Souza foi lançado, André Luís saiu mal e Edmundo completou o bom passe para o gol vazio: 3 a 1. "Faltou toque de bola e tranqüilidade. O problema foi termos perdidos os três pontos em casa", lamentou o jovem e promissor Diogo.

Tudo o que sabemos sobre:
VascoPortuguesaBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.